DB Multiverse

Dragon Ball Multiverse, o romance

Escrito por Loïc Solaris & Arctika

Adaptado por Rafael & comunidade

Com muito mais detalhes, redescubra a história de DBM. Esta romantização é verificada por Salagir, ela também contém adições próprias, que não foram contadas no mangá, por isso é um verdadeiro anexo da HQ!

Atualizações sobre 1, 11 e 21 do mês às 21: 00 (hora de Paris)
Próxima página dentro de: 19h, 51min

Intro

Parte 0 :0
Parte 1 :12345

Round 1-1

Parte 2 :678910
Parte 3 :1112131415
Parte 4 :1617181920
Parte 5 :2122232425
Parte 6 :2627282930

Lunch

Parte 7 :3132333435

Round 1-2

Parte 8 :3637383940
Parte 9 :4142434445
Parte 10 :4647484950
Parte 11 :5152535455
Parte 12 :5657585960
Parte 13 :6162636465
Parte 14 :6667686970

Night 1

Parte 15 :7172737475
Parte 16 :7677787980
Parte 17 :818283
[Chapter Cover]
Parte 16, Capítulo 78.

Capítulo 78

Traduzido por Virgílio212


Foi assim que tudo começou, no planeta Kanassa, do encontro com o sábio que tinha o poder de ver o futuro e que havia passado esse poder para Bardock. Dotado desse novo poder, o saiyajin escolheu acreditar nessas mensagens para salvar seu povo da ameaça que Freeza agora representava.

Bardock e sua unidade pousaram no Planeta Vegeta e, assim que saíram de suas cápsulas espaciais, se dirigiram para a sala do trono onde já acontecia uma importante discussão:

— Você sabe tanto quanto nós o que é o Lendário Super Saiyajin... uma ameaça para todos! — disse um saiyajin na frente do rei, que estava sentado em seu trono. — Nossos registros são claros: ele é um monstro que mata até mesmo saiyajins sem motivo e põe em perigo todo o universo!

— E este bebê é ele, com certeza. — respondeu Vegeta. — Já se passaram mil anos desde o último, tal força no nascimento não é algo natural. Nós o encontramos. Bem... eliminem o filho de Paragus... aquele Broly!

No final da sala do trono, a porta se abriu e Paragus entrou, atordoado.

— Paragus... o que você quer?

Assim que Paragus começou a falar, alguns saiyajins o agarraram:

— Poupe meu filho! Broly servirá ao Príncipe Vegeta, ele se tornará um grande guerreiro!

— Precisamente... — disse o rei.

Não muito longe, no corredor, o grupo de Bardock se aproximava com passos largos. Vindo da porta, eles escutaram um barulho, então algo caindo no chão. Alguns momentos depois, alguns saiyajins passaram por eles carregando o corpo inconsciente e gravemente ferido de Paragus.

— Bem, outro que falou de mais... — disse Totappo.

— É mais ou menos isso que vamos fazer...

Bardock e sua unidade então entraram, o líder até mesmo empurrando outros presentes na sala para chegar ao rei mais rápido.

— Rei Vegeta! Coisas terríveis estão para acontecer! — ele gritou.

O rei ainda estava de pé, dirigindo-se ao seu trono. Ele se virou para Bardock.

— O que foi dessa vez? Bardock?

— Freeza virá ao nosso planeta para eliminar a todos nós! Devemos nos preparar!

Rei Vegeta arregalou os olhos. Obviamente ele não acreditou nisso e ficou muito surpreso ao ouvir tal coisa. Surpresos também estavam os membros da unidade de Bardock, que arregalaram os olhos.

— Essa é a emergência dele? Ele ficou louco? — um deles disse.

Ao redor, todos os saiyajins caíram na gargalhada.

"Claro... ninguém acredita em mim... Se alguém me dissesse isso, eu também não acreditaria!" pensou Bardock, cerrando os dentes. Ele se viu na mesma posição que o kanassano na frente de seu próprio povo. Mesmo que Freeza e os saiyajins não gostassem um do outro, todos sabiam que Freeza era invencível e não rinha razões para ter medo, além de que eles eram úteis e uma parte importante de seu exército. Além disso, Freeza nunca atacou seus aliados, exceto no caso de uma revolução total. Ele rapidamente tomou uma decisão e apontou para seu rei:

— Quietos! — ele gritou. — Os saiyajins devem seguir seu Rei. Eu só tenho que convencer você.

Vegeta era conhecido por suas estratégias e inteligência. Ele poderia chegar a conclusão que Freeza havia decidido se livrar dos saiyajins. Ele sabia a verdadeira face daquele tirano.

Bardock voltou a sentir uma dor de cabeça, seguida de uma imagem muito clara: Freeza rindo e se preparando para lançar um terrível ataque contra o planeta... que estava explodindo.

"Não... esse não é o jeito certo!" pensou Bardock, que entendeu que se continuasse assim, essa visão se tornaria realidade. O kanassano não disse que de qualquer forma seu planeta estava condenado? Ele tinha que fugir do padrão. Ele tinha que fazer algo louco, mas tão louco que nenhuma visão poderia ter previsto.

Bardock levantou-se e disse alto e claro, novamente apontando o dedo para o rei:

— Rei Vegeta, de acordo com a tradição saiyajin... Eu te desafio pelo trono!

Todos ficaram em silêncio no grande salão. Ninguém acreditou no que Bardock estava propondo, o próprio rei menos ainda. Bardock continuou:

— Todos sabem que você mantém sua posição como rei porque nos libertou dos tsufurujins... Mas essa posição deve ficar para o mais forte entre nós!

Por cerca de cinquenta anos, sob o reinado de Vegeta, a sociedade saiyajin sofreu grandes mudanças. Eles cresceram de bárbaros vivendo em cavernas e casas improvisadas para uma sociedade organizada usando a tecnologia tsufurujin, depois a de Freeza. Eles agora tinham escolas e ofícios. Todas as regras da antiga sociedade(que nem sequer eram escritas, mas transmitidas oralmente!) pareciam de fato abolidas.

E enquanto era verdade que antes, o rei ou rainha dos saiyajins era perpetuamente desafiado pelo trono, na mente de todos hoje, o rei não precisava mais ser desafiado. Seu sucessor seria seu filho, que pela primeira vez na história tinha o título de "príncipe", um termo nunca antes usado nessa sociedade.

— Insolente! Você terá que lutar comigo primeiro! — disse Gerkin, um dos saiyajins mais fortes, guarda-costas pessoal do rei, o mesmo que foi morto na visão de Bardock. Ele usava armadura branca com dragonas e tinha cabelos compridos.

— Não Gerkin... Eu desafiei o Rei, não você.

Vários Saiyajins discutiram entre si:

— Claro... Bardock é mais fraco que Gerkin!

— Mesmo que Bardock ganhe... ele não vai permanecer como rei por muito tempo!

— Pfft, se eu soubesse que poderíamos desafiar o Vegeta, já teria feito isso há muito tempo!

Rei Vegeta parou essas discussões declarando:

— Muito bem Bardock, aceito seu desafio!

Esse foi o maior erro de sua vida, isso no que diz respeito à sua vida política. No que diz respeito à sua vida pessoal, ela viria a ser salva por essa temporária falta de julgamento.

Hatonek, outro membro do círculo pessoal de Vegeta, ficou surpreso. Ele quase disse ao rei para não lutar, mas este se jogou no confronto muito rápido:

— Como se um classe baixa... pudesse me vencer!

O confronto não durou muito. Por um tempo, a princípio, eles poderiam ter sido declarados iguais. Mas Bardock logo levou a vantagem. Por muito tempo, o Rei Vegeta não treinou, enquanto muitos de seus súditos progrediram conquistando planetas. Ele havia perdido sua vantagem anos atrás. De repente, seguindo uma visão, Bardock antecipou os movimentos de seu oponente e conseguiu nocauteá-lo de forma rápida. Bardock arrancou o pingente que ele usava no pescoço.

— Bardock... é nosso novo rei!

— Filho da puta... eu te desafio! — gritou Gerkin.

— Desafio aceito... — sussurrou Bardock, cansado enquanto se sentava no trono. — Mas de acordo com a tradição, tenho uma semana para descansar... Lutaremos depois. Agora me escutem! Minhas ordens parecerão estranhas, mas vocês devem segui-las! Se eu estiver errado, logo serei destronado e vocês poderão me esquecer... mas até lá, não vou aceitar a indisciplina! Primeiro... Não diremos a Freeza que me tornei rei. Nós vamos capturar todos os homens de seu exército presentes no planeta e matá-los. Nada do que vamos fazer nos próximos dias deve sair daqui!

As ordens foram seguidas. A sociedade saiyajin começou sua rebelião secreta contra Freeza... Oficialmente, nada mudou. Uma vez que o contato foi assegurado, o Rei pediu a todos os representantes saiyajins que se reunissem.

Em uma plataforma, Bardock, com o ex-Rei Vegeta, Brasca, Hatonek, Gerkin, Celipa, Toma... falou para o grupo de várias centenas de saiyajins. Ele fez um discurso incitativo.

O ex-Rei Vegeta sabia que Freeza nunca perdoaria uma rebelião. O que Bardock estava fazendo era o pior dos casos! Ele destruiu o equilíbrio fino que permitiu que os saiyajins se emancipassem no exército demoníaco. Mas Vegeta sabia tirar vantagem de todas as situações e, antes de ser rei, ele tinha aprendido a se mover nas sombras.

Ele, portanto, permaneceu com Bardock como seu conselheiro. Ele não o esfaquearia pelas costas, pelo menos não pro agora. Bardock disse a Vegeta várias vezes como ele viu sua própria morte em grandes detalhes, o que o convenceu de que Bardock era louco o suficiente para continuar com isso. Então Vegeta trabalhou para o sucesso de seu plano. Ele oficialmente ficou ao seu lado e o apoiou totalmente. Logo, até os saiyajins mais relutantes decidiram seguir suas ordens.

E alguns dias depois...

— Freeza está vindo hoje à noite.

Bardock olhou para as estrelas. Hanasia estava ao seu lado, mas eles não estavam sozinhos. Milhares de saiyajins estavam lá, todos guerreiros muito poderosos.

— Estou te avisando, se ele não chegar, eu desafio e mato você! — Hanasia ameaçou.

— Terá que fazer isso depois de Gerkin...

Alguém interrompeu a conversa:

— Rei Bardock, eu gostaria de te agradecer por poupar meu filho!

Bardock olhou para Paragus:

— Não precisa... Já vi o que seu filho vai se tornar... Vamos precisar da força dele... — ele disse baixinho.

Paragus foi tratado e seu filho não foi executado, como Vegeta havia exigido. Bardock rescindiu a ordem.

— Lorde Freeza acabou de chegar! — gritou um saiyajin de longe, ele estava voltando da cidade de onde estavam monitorando as comunicações de rádio.

Murmúrios foram ouvidos. Todos perceberam que Bardock estava dizendo a verdade.

— E então?

— Ok, sua visita não era prevista, mas isso não significa que ele vai nos matar. — disse Hanasia a Bardock.

— Isso não é importante agora, vamos atacar primeiro. Ele não pode fugir. Hanasia, você pode parar a nave dele?

— Que pergunta! Você está falando com a mais poderosa de todos os Saiyajins!

Gerkin se aproximou ao ouvir esta frase:

— Como é? Eu venci você em nosso último duelo!

— Eu estava grávida.

— Sim, sempre uma desculpa...

Hanasia rapidamente voou alto no céu. Bardock, cercado por cinco saiyajins disse a eles:

— Vegeta, Gerkin, Hatonek, Zukini, Paprika, façam o que só vocês podem fazer...

Da mão deles saiu uma esfera de energia azulada, que eles lançaram para o céu.

— Vocês três, fiquem no chão. — Bardock ordenou Zukini, Hatonek e Paprika. — Se dispersem e se escondam. Se uma lua falsa for destruída, lancem outra e se escondam em outro lugar.

— É o plano de um covarde. — disse Paprika.

— É o plano do rei, ouvi dizer que ele vai ter outro pra você. Execução.

No céu, luas cheias apareceram. As ondas que eles emitiram rapidamente tocaram todos os saiyajins. Alguns não esperaram ser completamente transformados para voar para longe.

— Atacar!

Hanasia partiu primeiro com o objetivo de destruir os escudos da nave. No início, ela lançou uma infinidade de ataques de energia que apenas ricochetearam no escudo.

Hanasia pensou por um segundo, então voou em direção à nave, punhos para frente, aumentando cada vez mais sua velocidade.

"Mudança de planos!" ela pensou enquanto passava pelo escudo invisível. Ela sentiu uma espécie de choque elétrico que percorreu todo o seu corpo, mas ela segurou: aquilo não iria pará-la. Assim como o casco da nave, que ela furou como se fosse feito de papel.

Lá dentro, ela rapidamente encontrou uma escada para subir um andar. Ela podia respirar e recuperar o fôlego agora, antes de continuar seu caminho para os geradores do escudo, que ela precisava encontrar.

Do lado de fora, os oozarus estavam à beira da atmosfera do Planeta Vegeta. Freeza estava determinado a derrubá-los enviando seu exército contra eles.

Em um corredor da nave, Hanasia se viu cara a cara com Dodoria.

— Olha só... Hanasia da elite saiyajin. — disse o último.

— Ah, um fã?

Dodoria, com uma mão estendida, jogou uma bola de fogo.

— Na verdade, não. Morra!

A bola de fogo errou seu alvo, que foi rápida o suficiente para evitá-la, e explodiu contra uma parede. Hanasia avançou contra Dodoria e deu um soco em seu rosto. Ele contra-atacou também golpeando com seus três dedos. Hanasia foi atingida na bochecha esquerda e caiu no chão.

— O que você esperava! — o ajudante de Freeza disse, agarrando a saiyajin pelos braços e levantando-a.

Ele prendeu Hanasia contra uma parede, segurando-a pelo pescoço com uma mão. Com o outro punho, ele se preparou para golpeá-la várias vezes no rosto. Ele queria recompensá-la cem vezes mais pelo golpe que ela lhe dera.

— Sua força é de 12.000 e a minha é de 22.000, você não tem...

Hanasia abriu bem a boca e uma onda de energia saiu, atingindo Dodoria de frente e à queima-roupa, que em estado de choque aterrissou em suas costas a vários metros de distância. Isso deu a Hanasia tempo suficiente para recuperar o fôlego e olhar por uma das múltiplas janelas da nave.

— Para onde foi essa escória? — Dodoria disse suavemente, levantando-se, uma mão em seu olho direito levemente ferido. — Ah! — ele disse quando a encontrou. — Você vai morrer!

— Bela vista... — ela respirou. — Eu vejo meu planeta daqui... e as luas! — ela finalmente concluiu, virando-se e sorrindo para Dodoria.

Seu rosto já havia mudado: ela estava crescendo. Ela rapidamente se tornou uma oozaru, crescendo a tal ponto que ela atravessou as paredes dos salões e literalmente quebrou metade da nave de Freeza, conseguindo desativar o escudo de energia no processo.

Ela voou rapidamente, mas Dodoria foi logo atrás. Ela imaginou que isso fosse acontecer. Girando ao redor, ela chicoteou sua cauda no vácuo do espaço que bateu no capanga de Freeza. Na forma de oozaru, o poder de Hanasia excedia e muito o de Dodoria. Ferido mortalmente por esse golpe, o choque o mandou de volta a bordo da nave. Hanasia rapidamente saiu para evitar o ataque que seus companheiros já estavam preparando: uma horda de oozarus atiraram seus ataques de energia mais poderosos ao mesmo tempo. O feixe que agrupou todos os outros rapidamente acelerou em direção à nave danificada de Freeza, que explodiu em segundos.

Juntando-se ao oozarus, Hanasia ouviu os aplausos dos guerreiros em homenagem ao seu Rei Bardock.

Assim terminou o reinado do tirano Freeza e começou o de Bardock, baseado em uma regra simples: os métodos de Freeza foram proscritos e os saiyajins atacariam os planetas juntos começando pelos do império de Freeza. Os saiyajins não recebiam mais ordens, eles decidiriam o próprio destino.

Mas alguém já estava interessado neles... alguém que, de mais longe, em outra nave, tinha visto tudo.

— Eles... Os saiyajins mataram seu irmão! — Sauza disse ao seu mestre, Cooler.

— Pfft! Que verme! Ser esmagado por um bando de macacos!

"Se Freeza não estivesse em forma de redução, ele os teria esmagado..." Sauza pensou antes de dizer em voz alta:

— Mestre Cooler, devemos aterrissar neste planeta? Ou você deseja destruir tudo de uma vez?

— O quê? Não... Sei que não temos o direito de estar aqui... Vamos voltar calmamente antes que meu pai pense que fui eu quem matou meu irmão. Freeza morreu por culpa dele mesmo. E esses saiyajins, todos eles morrerão... assim que meu pai me der este território!

Cooler saiu da sala de controle para descansar em seu quarto pessoal. Tudo isso o deixou de bom humor.

Carregando os comentários...
Idioma Notícias Ler Autores Rss Feed Fanarts FAQ Ajuda Torneio Ajuda Universo Bônus Eventos Promos Parceiros
EnglishFrançais日本語中文EspañolItalianoPortuguêsDeutschPolskiNederlandsTurcPortuguês BrasileiroMagyarGalegoCatalàNorskРусскийRomâniaEuskeraLietuviškaiCroatianKoreanSuomeksiעִבְרִיתБългарскиSvenskaΕλληνικάEspañol Latinoاللغة العربيةFilipinoLatineDanskCorsuBrezhonegVènetoLombard X