DB Multiverse

Dragon Ball Multiverse, o romance

Escrito por Loïc Solaris & Arctika

Adaptado por Rafael

Tradução da fanfic francesa de DBM para o português

Intro

Parte 0 :0
Parte 1 :12345

Round 1-1

Parte 2 :678910
Parte 3 :1112131415
Parte 4 :1617181920
Parte 5 :2122232425
Parte 6 :2627282930

Lunch

Parte 7 :3132333435

Round 1-2

Parte 8 :3637383940
Parte 9 :4142434445
Parte 10 :46
[Chapter Cover]
Parte 1, Capítulo 2.

PARTE 1: UM TORNEIO MUITO ESTRANHO!

Capítulo 2

Traduzido por Rafael


Na casa dos Briefs, era essencial para Vegeta treinar todas as manhãs no início da alvorada, embora ele sempre estivesse de pé treinando bem antes disso. Em uma época anterior de sua vida ele havia treinado em uma nave construída por seu sogro, uma nave que poderia gerar gravidade artificial bem acima da do planeta Terra. Passadas várias batalhas com seu rival Goku, Vegeta pediu à Dr. Briefs para construir algo inteiramente novo. Um lugar onde a gravidade pudesse ser aumentada a níveis ainda maiores do que anteriormente, e acima de tudo, escondesse seu ki. Ele queria se desligar do mundo e, por assim dizer, ninguém no planeta, especialmente Goku, pudesse sentir o nível de seu Ki.

Depois de muitos meses de planejamento, tentativas e erros, Dr. Briefs finalmente ofereceu à Vegeta uma sala secreta no subsolo da Corporação Capsula para ser seu novo centro de treinamento. Vegeta ficou encantado ao ver que o dispositivo de gravidade tinha sido dramaticamente aperfeiçoado, mas ficou desapontado ao tomar conhecimento de que a tecnologia para esconder seu Ki não existia nesse mundo...

Vegeta foi até o palácio de Dende e pediu se poderia usar as esferas do dragão para desejar por uma tecnologia que pudesse esconder seu Ki, mas Piccolo e Dende recusaram sumariamente o pedido de Vegeta, alegando que isso poderia ser um mal uso dos poderes de Sheng Long. Felizmente, Dende ofereceu à Vegeta a opção de usar a Sala do Templo o quanto ele desejasse, que havia sido reconstruída para permitir que aqueles que a usassem pudessem permanecer por mais tempo do que antes. Desde então, Vegeta tem alternado seus treinos entre sua nova sala abaixo da Corporação Capsula e a Sala do Templo.

Hoje, apesar de sua rigorosa programação de treinos, Vegeta não poderia ir ao palácio de Dende. Sua esposa e sua filha tinham planejado fazer compras e informaram à Vegeta de que ele deveria acompanha-las, algo que ele não poderia se recusar a fazer...

Enchardado de suor, ele se encontrou cara a cara com sua esposa, Bulma, que tinha suas mãos posicionadas firmemente em seu quadril.

"Vegeta!" Bulma gritou em seu rosto. Você está atrasado!"

"Bem, pelo menos me deixe fazer meu treino matinal!"

"Nós dissemos que estaríamos partindo às oito foras!" respondeu sua esposa agitada.

"Mas não são nem oito horas ainda!" retrucou o Príncipe dos Saiyajins.

Bulma não desarmou-se. "Você tem dez minutos," ela declarou. "E me faça um favor, por favor. Tome um banho e ache roupas descentes para vestir."

Vegeta sorriu suavemente e seguiu em direção ao banheiro.

"Que pé no saco," sua esposa pensou consigo mesma.

Atrás de Vegeta, Bulma também sorriu suavemente enquanto afastava-se. "Hmm..." ela pensou maliciosamente. "Vou ter de comprar uns jeans sexy para ele hoje..."

Vinte minutos depois, Vegeta saiu de dentro do prédio da Corporação Cápsula vestido de forma muito elegante. Ele estava bem apresentável, vestindo bons sapatos e calças com uma jaqueta formal cobrindo sua camisa. Perante ele estavam sua esposa e sua filha, Bra, que estavam impecavelmente na moda.

Sem dizer uma única palavra, Bulma veio e agarrou o braço de seu marido, que ficou um pouco sem graça e corou-se furiosamente. O trio começou a sair da casa de sua família quando de repente Vegeta parou congelado. Ele tinha uma sensação estranha, como se estivesse sendo observado. Só então, um robô esférico voador com pequenas pernas metálicas apareceu à 2 metros em frente a ele. Ele se perguntou a princípio se isso era alguma criação de seu esposa, mas o design fez parecer que este não era o caso.

O pequeno robô silenciosamente pousou no chão em sua frente e rodou a mesma mensagem holográfica que seu rival havia recebido a apenas dois minutos atrás do Varga e de Piccolo.

Depois da mensagem rodada, o robô partiu novamente em direção ao palácio, Vegeta de repente se sentiu muito animado. "Bem," ele disse, "Adeus, compras!"

Ele parecia muito sério, mas aquilo não estava sendo muito convincente para sua esposa e filha. "Bulma, Bra, eu sinto muito mas isso parece ser muito importante..."

Bulma não foi enganada. "Oh, não você não vai!" ela exclamou, "Você prometeu que nós trés iriamos às compras juntos!"

Vegeta, no entanto, estava inflexível. "Nós podemos ir as compras uma outra hora. Agora, eu preciso ir ao palácio."

Bra, que conhecia muito bem seu pai, sabia que desta vez seria inútil tentar faze-lo mudar de idéia. "Certo", ela disse, "então todos nós vamos juntos de avião ao palácio !"

Vegeta sentiu a cilada se armando. "Para então vocês me enganarem em ir aonde você querem ir?" ele respondeu. "Boa tentativa, mas eu chegarei mais rápido indo sozinho."

O Príncipe voou imediatamente em direção ao templo, deixando as duas mulheres para trás fumegando de raiva. Vegeta sorriu para si mesmo enquanto voava pelo ar. Ele pensou consigo mesmo, "Um torneio? Que sorte!"

Cheio de emoção, Vegeta acelerou, e até mesmo se transformou em Super Saiyajin para multiplicar sua velocidade. Ele não havia percebido o pequeno robô esférico em seu caminho escoriando-o enquanto passava, arremessando-o perigosamente ao chão.

No palácio de Dende, Piccolo permanecia imóvel em pensamentos, braços cruzados e olhos fechados. "Qual poderia ser o propósito de tal torneio?" Ele pensou para si, um questão que havia estado em sua mente desde que ele recebeu a informação.

Piccolo de repente abriu seus olhos e descruzou seus braços. Ele havia sentido um Ki familiar se aproximando do templo. Depois de somente alguns segundos, Gohan apareceu voando sobre o templo, ganhando altitude a uma incrível marca de velocidade. Ele parou a 3 metros acima do templo, removendo a aura esbranquiçada que o envolvia. O hibrido Saiyajin/Humano rapidamente inspecionou o palácio analisando a misteriosa nave, os Namekuseijins, e os bizarros alienígenas que lembravam aves. Ele viu Piccolo e Dende e pousou à alguns metros em frente a eles antes de seguir em sua direção.

"Ei!" ele disse para seus dois velhos amigos.

Dende estava visivelmente alegre de ver Gohan. "Gohan!" Dende exclamou, "Faz tanto tempo desde sua última visita!"

"Eu sei, Dende," Gohan respondeu com um sorriso honesto. "Eu tenho estado ocupado com os afazeres da universidade ultimamente, mas as férias acabaram de começar então eu deverei ter um pouco mais de tempo livre."

"Você chegou até aqui bem rápido, Gohan," parabenizou Piccolo.

Gohan começou a coçar a parte de trás de sua cabeça de forma modesta. "Sim," ele respondeu, "mas minha velocidade provavelmente é a única coisa que eu mantive desde que parei de treinar."

Piccolo ficou um pouco surpreso. "Falando em treino, vendo você assim certamente trás memórias a tona, "ele disse com um pequeno sorriso.

"Oh, provavelmente é por causa desses." Gohan removeu seus óculos de seu bolso e os pôs. "Eu os coloquei no meu bolso assim eu não os perderia no caminho até aqui."

"Hmm... Eles definitivamente o fazem parecer mais velho," respondeu Piccolo.

A atenção de Dende de repente mudou. "Vegeta está aqui..." ele disse.

Chegando da mesma maneira que Gohan, o Principe dos Saiyajins pousou em frente ao trio praticamente sem desacelerar, criando uma rajada de ar a qual forçou Dende a proteger seus olhos. Com uma evidente arrogancia, Vegeta perguntou diretamente se Goku já havia chegado, uma pergunta que parecia óbvia.

"Ele estará aqui em breve", respondeu Piccolo. "Não se preocupe."

Vegeta respondeu com um sorriso arrogante. "Hmph, como se EU me preocupasse com aquele tolo de classe baixa!"

"Ei, Piccolo," disse Gohan habilmente mudando de assunto, "O que você acha de nossos visitantes?"

Vegeta, que estava interessado na questão, cruzou seus braços e esperou para escutar a resposta de Piccolo.

"Namekuseijins são Namekuseijins," disse Piccolo. "São sempre de confiança. Esses Vargas... parecem ser honestos pelo menos. Eu não sinto nenhuma hostilidade vindo deles. Eles dizem vir de um outro universo..."

"Isso seria mesmo possível?" perguntou Vegeta cético.

"Teoricamente não," respondeu Gohan pensativo. "Mas viagens pelo tempo não são teoricamente possíveis também, apesar de que sabemos em primeira mão que é. Eles devem ter tido um incrível avanço tecnológico para isso ser possível... Ir de um universo para outro deve consumir muita energia.".

Gohan virou-se e examinou os Vargas e sua nave. "Eu imagino se eles me permitiriam estuda-la..."

De repente, um grupo de sete pessoas apareceu do nada próximo ao quarteto, ao qual Vegeta imediatamente reagiu. "Trunks!" disse Vegeta com uma óbvia irritação. "Onde é que raios você estava? Eu o procurei hoje por toda a Corporação Capsula!"

Trunks tensamente se virou para Goten, buscando alguma forma de apoio de seu amigo.

Videl se aproximou de Gohan e amorosamemte esticou sua camisa, a qual a vôo havia amarrotado, e Chichi tomou seu tempo para reprimir a falta de formalidade de Goten. Uub olhou ao seu redor para o grupo de guerreiros em fascínio. Vegeta, por outro lado, dirigiu-se de forma ameaçadora à Goku.

"Kakarotto! O que o fez demorar tanto? Você nos fez esperar!"

"Desculpe, Vegeta..." Goku respondeu com um sorriso em seu rosto.

"Você é terrivelmente lento para alguém que pode se teletransportar..." disse Vegeta.

"Eu tive que pegar todos primeiro," respondeu Goku, não conseguindo mudar o mal humor de Vegeta.

"Eles não poderiam ter voado até aqui sozinhos?"

"Se você estava ansioso a esse ponto, Vegeta, por que você não veio me procurar então?

"Aqui vamos nós denovo..." murmurou Piccolo para si mesmo.

"Grande idéia!" disse Vegeta. "Da próxima vez irei lhe pegar pelo couro do traseiro!"

"Oh claro! Faça seu melhor! contrapôs Goku com um sorriso de satisfação em seu rosto, posicionando-se em guarda.

Os olhos de Vegeta iluminaram-se alegremente. "Que excelente idéia Kakarotto!"

Vegeta então também assumiu uma posição em guarda, muito para a preocupação dos Namekuseijins e Vargas. Envergonhada com a situação, Chichi interveio. "Goku!" Ela disse, encarando seu marido intensamente.

Goku de repente ficou tenso enquanto seu sorriso evaporava de sua face.

"Oh, uh... Chi-" Goku começou.

"Não faça estardalhaços!" Chichi disse cortando Goku. "Você acha que está em um playground colegial ou algo do tipo? Quando é que você vai crescer?

Goku não sabia o que dizer. Era verdade que por uma luta contra Vegeta, emoção tendia a prevalecer sobre a razão. "Uh..."

De repente, um estranho, estridente barulho pôde ser ouvido por vários segundos. Os Vargas, temendo por uma tempestade, começaram a sondar o brilhante céu azul. O grupo de terráquios, no entanto, já sabiam exatamente do que se tratava o barulho, e eles todos direcionaram seus olhares para Goku.

"Ha ha, é só o meu estômago, pessoal!" disse Goku. "Eu sai despressa e esqueci de comer.

Enquanto Vegeta e Chichi zombaram com um ar de tédio, Uub estava perplexo. "Mas nós tomamos café da manhã antes de começar os treinos..."

"Mas isso foi à duas horas atrás!" disse Goku. "Aquele treino todo abriu meu apetite. Onde está o Senhor Popo? Oh! Estou certo de que já está preparando todos os meus pratos favoritos! Senhor Popo! Oláááá?

Todos permaneceram em silêncio enquanto Goku corria para dentro do templo em direção a cozinha. Trunks então tentou quebrar o silêncio. "Então, uh, pai," ele disse. "Onde está a mãe e Bra? Elas não quiseram vir?

"Eu acho que elas estão vindo de avião." respondeu Vegeta sem olhar.

Um pequeno Varga de repente se aproximou de forma tímida do grupo. "Um... perdoem-nos..." o Varga começou.

"Não se preocupe," Piccolo disse. "Ele irá retornar em breve. Quando Son Goku tem fome, é impossível de tirar sua mente de algo que não seja comida. Mas vocês podem se juntar a nós se quiserem. Poderemos discutir sobre os detalhes do torneio enquanto comemos." Um pensamento repentino talhou um sorriso enorme na face de Piccolo. Naturalmente, com todos esses saiyajins por perto a comida provavelmente não irá durar muito."

O Varga retornou para seu grupo e informou ao resto que suas estadias irião durar mais do que o esperado...

Senhor Popo finalmente preparou toda a comida e alinhou os pratos em seu tapete voador, o qual estava sendo usando como uma longa mesa improvisada. Bulma e Bra logo chegaram ao templo.

Bulma, assim como Gohan, fiocu vislumbrada com os Vargas e sua tecnologia, enquanto Bra achava que os alienígenas eram fofos devido a seus pequenos tamanhos e senso de moda. Ela até mesmo foi longe demais ao acariciar uma das criaturas, fazendo-o "ronronar" antes de se distanciar rapidamente, ficando um pouco envergonhado.

Durante o almoço, somente Goku e Pan, que apreciava imitar seu avô, empanturravam-se de comida. Os outros porém focaram suas atenções nos Vargas, que estavam sentado no final do tapete, enquanto eles explicavam mais detalhadamente os aspectos do torneio.

Então, como sabem," o Varga começou, "nós viemos de um universo completamente diferente do qual você conhecem. Os Namekuseijins que vieram conosco também são de nosso universo."

Um dos Namekuseijins avançou um pouco e estendeu seu mão. Ele segurava em suas mãos um pequeno objeto circular, o qual ficou um pouco quente e causou o ar acima dele a se comportar de maneiras estranhas. Imagens começaram a aparecer acima do objeto, das quais imediatamente despertaram a curiosidade de Bulma.

"Um holograma?" ela perguntou.

"Sim, é o que parece ser," respondeu Gohan.

"Vocês existem dentro de um multiverso," o Varga continuou, " o que quer dizer, multiplos universos. Eles são todos similares, com muitas das mesmas causas e efeitos. No entanto, um único acontecimento que ocorre diferentimente em um universo irá fazer este divergir dos outros. Por exemplo, em um universo, o céu de seu planeta poderia ser vermelho, e em outro universo o planeta poderia ter sido conquistado por alienígenas."

O Varga foi interrompido pelos barulhos que Goku e Pan emitiam ao comer. Os dois notaram a sala ficou silenciosa subitamente e olharam para todos, com macarrão pendurados para fora de suas bocas. Sabendo que haviam parado de falar devido ao barulho que estavam fazendo, Goku e Pan rapidamente sugaram o resto do macarrão e deram atenção aos oradores.

"Sim... como eu dizia," o Varga continuou, "um outro exemplo é o nosso universo. Em nosso universo, e somente no nosso, os Vargas inadvertidamente descobriram a tecnologia que nos permitiu viajar de um universo ao outro. Os deuses decidiram que os universos devem permanecer fechados, mas permitiram-nos organizar um evento único... "

"Ei, aquele é o Kaioshin!" Goku exclamou de repente, notando o deus de pele roxa no holograma.

"Nos aliamos aos Namekuseijins de nosso universo, " disse o Varga, ignorando o comentário de Goku, "para organizar um torneio entre os mais fortes guerreiros de todos os diferentes universos. O vencedor do torneio terá direito à três desejos do Dragão Sagrado de Namekusei."

"As Esferas do Dragão de outros universos serão usadas para ressuscitar qualquer um que venha a morrer no torneio." disse o Namekuseijin com o holograma. "E além do prémio, os guerreiros do torneio devem encontrar muita diversão na expectativa de lutarem contra os mais poderosos oponentes.

"O torneio é único e completamente seguro," disse o Varga. "Nossa pergunta é: Vocês gostariam de participar?"

O grupo ao redor da mesa começou a discutir entre eles mesmos, e não sabiam ao certo se confiavam na história ou não. Vegeta, que permaneceu em silêncio, achou dificil de se concentrar com tantas conversas diferentes ocorrendo ao mesmo tempo ao seu redor. Goku finalmente cortou a todos.

"Essa é uma grande oportunidade" Uub irá poder testar seus poderes sem nenhum risco. Há tantas restrições aqui."

"Eu não confio nem um pouco nessa história de multiverso," disse Vegeta, "mas de jeito algum você irá entrar em um torneio sem mim, kakarotto" Eu tenho algumas surpresas guardadas para você."

"Um... Nós temos uma pergunta." disse Trunks e Goten simultâneamente.

Podemos lutar em grupo? perguntou Trunks.

"Não," respondeu o Namekuseijin mais velho. "As lutas serão de um contra um. Se perde se não puder lutar por mais de 30 segundos ou se desistir. Armas são permitidas desde que você entre no ringue portando-as. Um vez que entrar no ringue nenhuma ajuda exterior será permitida. Nós iremos detalhar as outras regras mais tarde. "

Trunks e Goten ambos sorriram em satisfação.

"Tudo bem para nós!" disse Goten.

"Nós registramos Gotenks." disse Trunks. "Eles está entre nós, mas vocês não podem vê-lo, e nós iremos junto como espectadores. Tudo bem?

"Sim," respondeu o Namekuseijin, "espectadores são imensamente bem vindos, e qualquer um que queira lutar é permitido participar. Uma pessoa até mesmo registrou seu filho que ainda nem nasceu. Nós não nos importamos se vocês criarem esse Gotenks antes da luta.

"Então eu irei como espectador também," disse Piccolo

"Eu também!" disse Gohan sem hesitar.

"Vocês são o décimo oitavo universo à participar," disse o Namekuseijin ancião. "Esse será o número de registro de seu universo."

Sem mais delongas Vegeta imediatamente levantou-se. "Bem, o que é que estamos esperando?" ele exclamou. "Vamos!"

"Eu mal posso esperar para chegar até lá!" disse Pan animada.

"Eu vou ficar," disse Chichi. "Eu acho a idéia desse torneio ridícula. Gohan, certamente você não irá permitir minha neta participar?

Gohan lançou um olhar para Videl, deixando a decisão para ela.

"Bem..." disse Videl. "Isso pode ser benéfico para ela..."

Chichi cruzou os braços, fechou os olhos, e virou-se para longe "fazendo beicinho".

Trunks olhou para Goten. "Parece que iremos ter que começar a praticar a fusão novamente."

"Isso será demais!" Goten respondeu com evidente ansiedade.

"Gohan," disse Goku, "você tem certeza de que não quer participar do torneio?"

"Sim," respondeu Gohan. "Eu parei de treinar por muito tempo e não tenho estado em uma luta por anos."

"Mas com seu poder somente você poderia provavelmente ir longe no torneio," disse o jovem Uub.

"Esqueça!" Vegeta interveio. "Gohan é um inútil. Eu poderia derrota-lo de olhos fechados!"

O comentário em questão fez Gohan sorrir. "Se pensar assim lhe faz feliz, Vegeta."

Vegeta também sorriu, recordando um acontecimento ocorrido à nove anos atrás...

Carregando os comentários...
Idioma Notícias Ler Minicomic Autores Rss Feed Fanarts FAQ Ajuda Torneio Ajuda Universo Bônus Eventos Promos Parceiros
EnglishFrançais日本語中文EspañolItalianoPortuguêsDeutschPolskiNederlandsTurcPortuguês BrasileiroMagyarGalegoCatalàNorskРусскийRomâniaCroatianEuskeraLietuviškaiKoreanБългарскиעִבְרִיתSvenskaΕλληνικάSuomeksiEspañol Latinoاللغة العربيةFilipinoLatineDanskCorsu