DB Multiverse

Hanasia, Rainha dos Saiyajins

Escrito por Salagir

Adaptado por Mulekda e Carinha

Esta história se passa no planeta dos Saiyajins, bem antes de eles serem a população assassina que pôs medo na galáxia inteira, na era do Rei Vegeta...
Se você já se perguntou como essas pessoas tão poderosas viviam em comunidade, se você quer conhecer qual foi destino dos guerreiros milenares antes do Broly, se as aventuras de uma lutadora frenética e emocional em um mundo de valentões tentá-lo, entre no mundo da saga de Hanasia.


Parte 1 :123
Parte 2 :4567891011121314151617
Parte 3 :1819
[Chapter Cover]
Parte 3, Capítulo 19.

Tradução: Gokan

 

The Invaders

 

Quando a nave Frost Imperial parou acima da capital, várias formas de vida inteligentes a cercaram, flutuando à distância... não necessariamente uma distância respeitosa. Uma dessas criaturas até começou a tocar o casco externo e parou quando outra, claramente uma espécie de líder de tribo, a repreendeu.

— Bem, bem... Parece que todos são capazes de voar ... sem asas. Sem armaduras. Todos eles têm controle suficiente de sua energia para permanecer no ar.

— Uma população inteira capaz de voar? Okay, certo. O que estamos vendo são suas tropas de elite! Olha, eles estão em formação militar. Estamos travando uma batalha real neste momento... Acontece que entramos em uma cidade fortificada.

— Não são só eles! Eu vejo outros em vôo que obviamente não são soldados.

— Idai? É uma espécie que pode voar. Não há mais do que isso. Eles também não são namekuseijins... A escotilha está se abrindo. Vamos!

Esse soldado não percebeu o quão errado ele estava...

 

A luz do sol entrou pela grande abertura da nave. A 6ª divisão de Lord Chilled saiu em ordem, permanecendo à tona. Liderando estava o General Sanana. Ele descobriu o potencial desses inimigos e trouxe os 200 homens imediatamente. Assim que todos estavam do lado de fora, com as armas prontas, os nativos já haviam se movido para enfrentá-los, seu líder, provavelmente, também à sua frente.

— O intérprete automático?... Tudo bem, funciona. Aham... O general ergueu a voz, olhando o chefe inimigo bem nos olhos. Eu sou o líder deste exército e um representante do Império Frost Demons, que governa tudo o que existe neste universo desde o início dos tempos! Você também pertence a esse império e nos deve sua obediência! Agora, abaixe-se e coloque os dois punhos no chão em um gesto de submissão! Se você recusar, todos serão mortos!

Por um momento, tudo ficou em silêncio. O líder adversário olhou para ele como se a ameaça declarada fosse totalmente absurda. Dentro das fileiras, um Saiyajin começou a rir, mas estava sozinho e parou no local. Olhou mais atentamente para as estranhas criaturas, que tinham rostos e tons distintos, que constituíam o exército de Chilled.

— Aham ... Eu sou o líder do nosso exército, o exército Saiyajin, que governa ... tudo isso, desde sempre. Não pertencemos a ninguém, especialmente aos esquisitos com cara de pelicano ou dinossauro que não colocam os pés aqui nem há cinco minutos!... Se você quiser nos mata... Você está convidado a tentar!

— Sempre acaba desse jeito... disse o general. Provavelmente faríamos melhor em refinar nosso discurso de introdução...

— Você sabe tão bem quanto eu que é apenas um meio para iniciar as hostilidades, General.

— Frente! Exclamou Sanana. Massacre esses nativos tolos, destrua suas casas, mate qualquer sobrevivente restante, mulheres e crianças!

Um grito muito curto ressoou dentro do regimento e os soldados se dispersaram em formações de três, a especialidade desta divisão, em direção ao seu inimigo desarmado.

 

1 metro e 83 centímetros. Contando os chifres do touro que subiam verticalmente. Uma cauda de lagarto espetada na ponta, uma cara de quem matava uma vez por semana em média. Dentro das fileiras de Lord Chilled, o menor erro é pago com a vida de alguém, esmagado pela cauda do mestre. Era seu prazer casual. Braços cruzados, pernas imóveis, sua cauda de repente rasgava o ar. E o tolo oficial seria cortado ao meio pela violência do golpe enquanto sua longa capa voava por todo o lugar.

A poltrona do senhor estava no centro do coração da nave. Não para voar, não, mas para controlar tudo o que o cercava... ao alcance de vários anos-luz. Uma imensa construção, feita com os materiais mais sólidos e extensos que existem para que o líder pudesse sentar-se sem se preocupar tanto com sua força.

Chilled estava sentado, brincando com seu copo. Podendo conter um litro, o item feito de cristal era extremamente valioso e frágil. Em suas múltiplas facetas e entalhes, o líquido dentro refletiria sua cor de maneira diferente dependendo do ângulo. Ele iria inclinar para a esquerda e para a direita devido a Chilled segurando-o pela ponta do dedo, observando a mudança do reflexo...

Então, ele parou e removeu sua mão. O copo caiu, rapidamente, ele o pegou antes que pudesse quebrar e terminou com um último gole.

— Como está se desenrolando a batalha? Retransmita a filmagem de fora.

Como as paredes eram de vidro, o exterior podia ser visto em 360 graus ao redor da nave. Surpresa. A batalha foi violenta e desigual, mas não da maneira que ele estava acostumado a ver. Os nativos podiam disparar rajadas de suas mãos. Eles podiam voar e lutar com notável força e velocidade. Técnicas de luta rudimentares, mas esses guerreiros eram surpreendentemente poderosos.

— Não estamos perdendo aqui?

— Temo que sim, meu senhor. Eles têm a força dos números e são realmente poderosos.

— Huh... Bem, então... Isso é bom... Muito bom. Peça uma retirada, vou me divertir um pouco.

 

O general Sanana foi gravemente ferido. Foi um massacre e uma grande humilhação para seu regimento. Ele sabia o que aconteceria a seguir... A questão era se Chilled correria para o campo de batalha ou esperaria calmamente. Sua sobrevivência agora depende apenas da diversão de seu mestre. Por enquanto, ele só conseguia conter o inimigo da melhor maneira possível.

Com chifres quase arranhando o topo da abertura, o monstro gigantesco que era seu chefe e senhor apareceu à luz do dia. Com sua chegada, a julgar por seu comportamento imponente e sua altura muito superior aos outros invasores, os moradores perceberam que sua aparência mudaria todo o curso da batalha. Os soldados, que também sabiam disso, abriram caminho para deixar seus inimigos com seu senhor, inimigos que não eram mais lutadores, mas sim presas.

Os vinte e sete soldados sobreviventes permaneceram na nave enquanto Chilled levitava entre os Saiyajins. Assim que chegou ao centro do campo de batalha aéreo, ele quebrou o silêncio disparando uma bola de fogo, pequena, de aparência quase inofensiva. Rápido, entretanto, e saiu em busca de um alvo aleatório. E sem que os Saiyajins fizessem o menor movimento, como se estivessem hipnotizados, ele perfurou a cabeça de um de seus lutadores, como uma bala de canhão atingindo um castelo de cartas.

Com isso, o massacre começou.

 

— Exatamente como previsto.

Abricota olhou atentamente para a tela enquanto o chefe relatava sua atualização.

— Seu exército não é uma ameaça para uma sociedade avançada como a nossa, ou para uma poderosa como os Saiyajins, mas seu líder, seu abominável líder!... Então, isso é o que é um Demônio de Gelo! Ele está matando aqueles Saiyajins com tanta facilidade, é como se ele usasse cheats em um videogame!

— Olha isso, disse outro observador, um esquadrão do exército Saiyajin atirou em suas costas ao mesmo tempo... Doze deles. A força da explosão foi equivalente ao fogo de um canhão AT-6. Sem danos. Além de sua capa estar em pedaços, ele nem se mexeu!

— Ele é tão denso que o impacto nem sequer o empurrou para trás, sua levitação é muito forte. Além disso, parece óbvio que ele ainda nem aqueceu.

— Argh! Ele simplesmente ultrapassou a velocidade do som em três vezes para contorná-los! Que desastre, ele apenas empalou todos eles com suas próprias mãos...

— Considerando que os Frost Demons já fizeram civilizações mais avançadas do que a nossa se dobrarem à vontade deles, e que a força bruta dos Saiyajins não é páreo para eles, o que podemos fazer?

— Não esgotamos nossas opções de força bruta, disse Abricota. A garota que pode se transformar, ela não saiu de casa há uma hora?

— Hm... disse um colega enquanto olhava para outra tela. Sim... sim ela ainda chegou! Em breve saberemos...

 

Ao longe, a enorme cidade podia ser vista com o mar atrás dela. Hanasia nunca tinha ido para a capital e não tinha ideia de que o poder que a guiava a trouxe até lá. Mas não havia lugar para dúvidas. Uma cidade tão grande com tais construções, muito longe das paredes podres de sua vila. Só poderia ser a capital.

A leitura de energia detectada foi liberada alguns minutos atrás. Obviamente, era hostil. E Hanasia podia sentir as vidas dos Saiyajins desaparecendo um após o outro.

— Eu sou o rei do nosso povo e te desafio!

Chilled soltou o cadáver inerte que ele tinha nas mãos, deixando-o cair no chão 30 metros abaixo. Sim, certamente era o rei deles. Mas quase não fez diferença... Chilled não tinha motivo para honrar sua presença. Sem responder, ele correu direto para ele. O rei mal teve tempo de bloquear o golpe que sentiu todos os seus ossos se despedaçarem. Ele cuspiu sangue e seu corpo se chocou contra uma das torres de vigia do palácio real bem atrás. Preso na rocha, o rei perdeu a consciência.

Do topo da mesma torre, o conselheiro sentiu a mesma sensação de impotência que sentiu quando se deparou com o Guerreiro Milenar. Não havia sentido em tentar revidar. O que ele era diante de tal força? Um ponto veio de longe, a toda velocidade... e parou a poucos metros do monstro.

Uma estranha lixeira voadora, animais bípedes vestidos que olhavam para a cena. Cadáveres de Saiyajins e os mesmos animais no chão e nos telhados das casas. Um Saiyajin ou dois voando, um agarrando as costelas, o outro sem um braço, mas ignorando a dor e o sangue escorrendo. E no fundo, um monstro enorme, ainda maior que o estrangeiro vermelho daquela outra época, coberto de sangue Saiyajin. A fonte do poder maligno que ela sentiu desde o início. Isso foi tudo o que Hanasia viu ao chegar. Ela se aproximou dos dois Saiyajins restantes, que estavam prestes a atacar antes de parar em sua chegada.

— É ela! Eu a reconheço! disse um dos Saiyajins, sendo um soldado que a viu quando ela ameaçou Nizouki.

 

— Monstro celeste, que veio matar minha espécie! Eu teria entendido se você procurasse se alimentar, mas você só destrói para seu prazer! Não sei de onde você vem, mas tenho pena de onde quer que seja. Você pode manter sua trilha sangrenta de onde ela veio! Você matou tudo no céu e agora você vem aqui? Estes são os seus últimos momentos de vida!...

Lord Chilled deu um grande sorriso, depois desapareceu de repente. Ele reapareceu com o punho cravado no estômago de Hanasia, o último dobrado ao meio, então se virou para bater nela com o rabo. Os espinhos a rasgaram e a onda de choque a jogou no chão várias centenas de metros abaixo.

— Nossa, você fala muito! disse o monstro. E ele se virou para os outros dois... então novamente. Ela não estava morta.

 

Hanasia sentou-se novamente, afastando os escombros de uma casa. Ela olhou para sua ferida. Estava sangrando, mas não era nada demais. Ela se levantou para ver o que estava ao seu redor e, embora estivesse muito longe do centro da batalha, ela podia ver vários cadáveres de lutadores Saiyajins. Sua raiva ferveu ainda mais e enquanto ela voava em direção ao monstro, a familiar luz amarela perolada apareceu e ela se transformou.

— É ela! A Saiyajin que se manteve firme contra o Guerreiro Milenar! disse o soldado Saiyajin.

— Que poder é esse? perguntou Chilled ao vê-la se aproximar, ganhando velocidade. Ele pensou naquela luz que ela estava disparando contra ele, mas não foi o caso.

Ele estava pronto para bater nela no momento em que ela estivesse sobre ele, mas ela parou no último segundo, e seu soco apenas preencheu o vazio entre eles. Ela então começou a fazer chover golpes sobre ele com uma força que nunca sentira em um estranho antes.

Chilled foi jogado para a esquerda, para a direita e novamente para a esquerda, sendo jogado em todas as direções. Ele não poderia acreditar nisso. Esse poder, essa força, existia apenas em Frost Demons. Esse nível de poder só poderia existir em membros de sua família. Ele teve que se recompor. Ele se recompôs.

Chilled abriu caminho para fora da barreira mortal e criou alguma distância.

— Incrível, isso é impossível! disse ele, olhando para sua estranha oponente. Será que foi você quem espalhou essas ondas incomuns pelo espaço?

Os homens de Chilled não conseguiam acreditar. Eles nunca tinham visto isso antes. Seu senhor, atingido por um de seus inimigos! Nunca.

— Vários assassinos se cruzaram comigo. Loucos que se alegram em matar. Por que você faz isso?

— Hã? Você tem poder reservado apenas para aqueles no topo da hierarquia. Neste universo, você é a única outra pessoa que, ao contrário, deveria entender. Nosso poder é realmente o da morte. Tudo o que está vivo pertence a mim e é meu direito decidir quando cada um deve morrer.

— Isso é estupido!

— O que…? O tradutor não pareceu entender essa palavra. Mate esses insetos e lembre-os de quem é seu Deus. [nota: em seu idioma, a palavra "Deus" é a mesma que a palavra "Demônio" em "Demônio de Gelo"]. E mesmo que você não seja um mero inseto, sou seu Deus. Eu vou provar para você. Você vai morrer.

— Seu único objetivo na vida é matar outras pessoas?! Você é aquele que vai morrer!

 

Hanasia não sentia mais a dor de seu ferimento. Desde que ela se transformou, ele se fechou, ao que parecia. Ela estava com força total e não ia permitir que aquele monstro vivesse mais. Ela se jogou na batalha com a intenção de vencer e matar.

Chilled mudou completamente a maneira como ele lutava. Ele estava realmente lutando contra um oponente digno. Foi assustador como essa criatura a atacou. Ele pensou em pesquisar cada centímetro do planeta para descobrir cada pedaço de informação sobre ela. Mas agora não era hora de pensar em projetos futuros. Esta batalha não seria fácil.

Entre duas barragens, eles se agarraram nos braços e um choque com força total começou. Se um deles o soltasse, seus braços acabariam deslocados e deixariam uma grande abertura para outro golpe. A luz amarela em torno da garota se intensificou, como se para complementar seu esforço. Quando ele começou a se cansar, Chilled começou a entender que ele tinha menos força bruta do que ela. Surpreendente.

Chilled finalmente cedeu e podia sentir uma dor aguda em ambos os braços, seguida por dois golpes no estômago. Ele podia sentir o impacto percorrendo todo o seu corpo e recuou para evitar o golpe seguinte. Mas ela já estava de volta nele. Ele disparou algumas rajadas contra ela, mas devido à pressa em dispará-los, eles não eram poderosos o suficiente e apenas caíram sobre o rosto de Hanasia como a água faria. Uma joelhada no rosto, e antes que ele pudesse recuperar a visão, ela agarrou sua mão. Usando-o como alavanca, ela estendeu o corpo e seus pés bateram na cabeça de Chilled, enquanto realmente deslocava o braço dele.

Isso foi o suficiente. Ele carregou sua energia em seu braço ileso e desta vez o suficiente para produzir uma força significativa. Ele levou alguns tiros antes de atirar. Como Hanasia estava batendo de perto, martelando contra ele, não foi difícil para Chilled acertá-la. Hanasia e a explosão se chocaram contra o solo. Então, da cratera de destroços rochosos, Hanasia estava de pé novamente. Suas roupas estavam queimando e ela tinha alguns arranhões, mas nada muito ruim. Ele respirou algumas vezes antes de voar de volta para a batalha.

Chilled deu uma boa pancada no ombro, contendo seu grito de agonia ao sentir seus ossos travando de volta no lugar, e se preparando para o que estava por vir.

 

— Mantê-la viva valeu a pena afinal, não foi?

— Eu acho que pessoas de sistemas estrangeiros adorariam assistir essa cena... nossa garota Saiyajin esmagando esse Frost Demon!

— Tudo isso pode ter muitas implicações, explicou o chefe de serviço do espaço de Tsufurujins. Primeiro, isso marca o fim do nosso isolacionismo. Seremos capazes de nos comunicar e comercializar livremente com outras civilizações, uma vez que fomos descobertos pelos Frost Demons. Em segundo lugar, todos vão querer o poder dos Saiyajins. Se não quisermos que naves de carga venham e os levem aos milhares à força para estudá-los, teremos que mantê-los seguros e ter nosso planeta em vigilância constante, com cruzadores de batalha prontos.

Cada um considerou o que ela disse. Então foi o fim de uma era. Certamente, eles logo estariam vivendo ao lado de outros alienígenas, daqui a alguns anos... Eles fariam novos inimigos. Eles teriam que contar aos Saiyajins sobre os novos perigos que os ameaçam...

— Se os Frost Demons forem inferiores a um Saiyajins dominante, isso marca o fim de seu reinado. Somos nós que possuímos a arma capaz de destruí-los. Porém, eu me pergunto... Isso não é muito fácil?

Eles olharam para a tela gigante na qual a batalha seguia seu curso. O Saiyajin iria vencer. Isso estava muito claro. O demônio tinha técnicas estranhas e nunca antes vistas, mas ela era mais forte, mais rápida e mais durável do que ele.

— Você acha que ele pode estar escondendo algo? Ou não é normal sermos os únicos no universo a abrigar criaturas como os Saiyajins? Ambos?

— Acredito que sim, e também acho que se estivéssemos prestes a repelir uma ameaça tão grande quanto o Guerreiro Milenar, outras civilizações deveriam ser capazes de fazer isso também. Por que os Frost Demons não foram eliminados da mesma maneira?

— Os Guerreiros Milenares eram feras sem treinamento. Os Frost Demons são uma raça de imperadores astutos.

— Bem dito. Uma última coisa: por que o chamado Kaioshin do Leste, que por acaso também vai para os outros pontos cardeais, não apagou os Frost Demons do mapa também?

— Porque não era problema dele. Todos se voltaram para o Tsufurujin que, até agora, não havia dito uma palavra. Encontrei essa informação de redes extraterrestres. O Kaioshin do Leste, enquanto a serviço do universo por dezenas de milhões de anos, talvez mais, interveio apenas em questões que envolviam ameaças de escala universal. A questão dos miseráveis tiranos do Frio não os preocupa.

Houve um momento de silêncio.

— O poder do Guerreiro Milenar aumentou constantemente e matou todos os que estavam em seu caminho. Ele era uma ameaça digna de nota, especialmente se ele tivesse continuado indo de planeta em planeta.

— Ah... disse o chefe, olhando para a tela novamente, na qual os indicadores de potência subiram consideravelmente de repente. Acho que o segredo que temíamos que existia está prestes a se revelar.

 

O desgosto foi sentido em todas as fileiras do exército de Lord Chilled. Contra essa estranha criatura de luz, tudo o que ele podia fazer era ser espancado. Eles tinham visto, pela primeira vez, o sangue de seu senhor. Sangue em seu rosto, sua capa rasgada em pedaços e sua armadura em pedaços. Sua postura de batalha era defensiva.

Apenas a fé do general Sanana permaneceu inabalável. Ele sabia que seu senhor não podia perder e sabia o que estava para acontecer.

— Desgraçado insolente, gritou Chilled, mais para o céu do que para Hanasia. Você está prestes a saber o que é enfrentar um Senhor dos Demônios do Frio! Você está prestes a conhecer a morte reservada apenas aos mais fortes, você deve agradecer !!!

Então Chilled se colocou em posição fetal. Então sua energia começou a aumentar, mais e mais sem razão, como o que aconteceu com o Guerreiro Milenar. Seu corpo começou a mudar. As pontas de sua cauda começaram a crescer. Sua cabeça estava começando a inflar, a se alongar, até que se tornou uma cabeça longa e achatada, ainda mais horrível do que a última, na qual agora havia pontas também.

Um único pensamento perturbou a mente de Hanasia naquele momento. "Eu tenho que atacar quando ele estiver inerte." E ela o atacou.

Os olhos do general Sanana se arregalaram diante de tal afronta. Atacando seu senhor durante sua transformação! Que vergonha! Como ela poderia ousar?! Fogo!! Ele gritou para seu exército que começou a atirar em Hanasia.

Sentindo algumas explosões em seu corpo, embora completamente ineficazes, ela se virou e acenou com o braço de forma circular na direção deles. Uma lâmina de energia arremessada diretamente para os soldados, e com precisão inesperada de um movimento tão breve e desleixado, cortou uma boa maioria de todo o exército convenientemente alinhado próximo a nave.

Enquanto meio-corpos caíam, Hanasia estava sobre o monstro. Literalmente sobre ele. Ela envolveu suas pernas ao redor de seu corpo e agarrou com ambas as mãos seu crânio. A energia emitida pela transformação a queimou. Ela estava puxando sua cabeça. Puxe com todas as suas forças. Chifres novos na transformação arrasaram seus braços.

Chilled sentiu uma dor aguda. Ele teve que se mover. Mas ele estava se transformando. Ele ainda não tinha meios de levá-la de volta. Ele sabia que cada transformação o curaria, fechando qualquer ferida que ele teria sofrido anteriormente, mas desta vez, era seu pescoço que estava no foco do ataque de seu inimigo. Ele contraiu os músculos o melhor que pôde para resistir ao ataque.

Hanasia o agarrou firmemente apesar da sensação de queimação. Ela torceu, torceu a cabeça do monstro no eixo do pescoço dele. Foi difícil, mas ela colocou todas as suas forças para conseguir isso.

Em seguida, seguiu-se o som sinistro de um estalo, o som que é sinônimo de vitória se você for um Saiyajin. A cabeça do Demônio agora estava voltada para suas próprias costas.

Desenhado por:

Holken       56

Asura      

PoF       14

Carregando os comentários...
Idioma Notícias Ler DBM Minicomic Autores Rss Feed Fanarts FAQ Ajuda Torneio Ajuda Universo Bônus Eventos Promos Parceiros
EnglishFrançais日本語中文EspañolItalianoPortuguêsDeutschPolskiNederlandsTurcPortuguês BrasileiroMagyarGalegoCatalàNorskРусскийRomâniaEuskeraLietuviškaiCroatianKoreanSuomeksiעִבְרִיתБългарскиSvenskaΕλληνικάEspañol Latinoاللغة العربيةFilipinoLatineDanskCorsuBrezhonegVèneto