DB Multiverse

Notícias Ler Minicomic Fanarts Autores FAQ Rss Feed Bônus Eventos Promos Parceiros Ajuda Torneio Ajuda Universo
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                               

DBM Universo dos Ciborgues (14): One Way

Escrito por Foenidis

Adaptado por Felipe e Henrique

Depois da morte dos guerreiros Z descritas em Twin Pain, os Universos 12 e 14 tiveram muitos ano em comum até começarem a se diferenciar um do outro. Quais eventos levaram à vitória de Trunks em um deles, e ao reinado dos Humanos Artificiais no outro?


Parte 1 :123456789
Parte 2 :10111213141516
Parte 3 :1718192021222324
[Chapter Cover]
Parte 1, Capítulo 9.

Traduzido por Henrique


A mão de Bulma ainda permanecia acima de seu teclado.

O temor evidente do conto de seu querido Gohan também contribuiu para reacender sua própria ansiedade.

Por um segundo, ela estava prestes a mover o dedo indicador para fazer o relógio aparecer em sua tela… Então ela parou o movimento, mais uma vez, tremendo ligeiramente.

Apressadamente, ela bateu a mão esquerda em sua outra mão para parar o testemunho físico de seu medo.

A sensação de mal-estar que ela sentiu neste preciso momento amarrado através de seu coração. Ele lembrou de um outro temor… outro mal-estar que rasgou seu peito com garras geladas…

A sombra fria da intuição da morte de Vegeta lançou uma sombra em sua testa como uma onda molhada que turvasse sua visão… Ela usou toda a sua força para reprimir a onda do soluço que foi vigorosamente abrindo caminho.

De repente, seus dedos se moviam por conta própria para solicitar o relógio fatídico!

Por pouco tempo, ela se sentiu como se tivesse durado uma eternidade, o sangue de Bulma parecia ter congelado em suas veias… Então, ela literalmente caiu em seu assento…

Não havia qualquer dúvida restando… O tempo ainda não havia passado, ainda havia mais de cinco minutos para esperar… Ela realmente teria sido estúpida ao conter-se da verificação!

Realmente não valia a pena… preocupar-se para acabar se tensionando… Aquele medo latente devido a ameaça latente no conto de Son Gohan foi o verdadeiro responsável desse sentimento terrível.

No entanto Bulma lamentou por não ter começado a descrição desta história antes. O tempo tinha voado. Havia apenas cinco minutos antes que ela tinha se encontrado mais uma vez com a presença tão reconfortante de Trunks.

E então, ela devia isso para esses heróis que deram suas vidas para a sobrevivência da humanidade… Ela era o guardião final de suas memórias. Era importante que a história deles sobrevivesse. Eles não mereciam que o pouco que restasse deles caísse no esquecimento.

Vamos lá trabalhar!

Considerando o pouco tempo que ela ainda tinha, ela certamente não deveria enrolar se ela realmente quer fazer tudo antes do retorno de seu filho.

Não era provável… mas este pequeno desafio deu-lhe força para continuar e aqueceu o seu coração.

O Saiyajin estava calmamente detalhando o interior dos hemisférios sem mostrar qualquer surpresa real ou qualquer indício de medo. Ele até deixou de emitir a luz dourada que estava em torno dele. Babidi conseguiu rastejar em direção a ele e ao mundo aberto, à custa de um esforço incrível, usando o que sobrou de seus braços mutilados.

Curiosamente, Son Gohan assistiu o rastejamento doloroso do gnomo nojento que estava gemendo a medida que lentamente ia para a frente.

"Buu… Responda-me.. Sou eu, Babidi, o filho de seu criador. Eu sou o único que permitirá sua volta à vida… Buu?…"

Chegado perto dos dois hemisférios, Babidi se contorceu e lutou para ficar reto e se esticar para cima tanto quanto podia. Ele rangeu os dentes, aparentemente se concentrando quando ele estendeu o coto de seu braço direito.

O jovem lutador ficou surpreso quando viu ele lutando e suando sob o esforço e Gohan finalmente entendeu que essa coisa patética não tinha a força necessária para derrotar a gravidade. Ele estava tentando fazer as duas conchas tombarem para que ele pudesse olhar para dentro.

Mas ele não tinha força suficiente sobrando para fazer o que quiser.

Fora de simpatia, Son Gohan derrubou o que estava mais perto dele … Se havia necessidade disso, o comportamento da criatura patética atestou que não havia qualquer perigo deixado para temer naquela bola.

Logo que a borda estava perto do chão, um melaço de espessura cor de rosa lentamente fluiu com um som pegajoso. Aquela coisa estranha emitia um cheiro forte. Para Gohan, cheirava como uma mistura doce e mofada.

Ao contrário de Gohan , que fez certo de não tocá-lo, ele mesmo levantou-se algumas polegadas acima do chão, para que a maré viscosa não atingisse seus pés, Babidi mergulhou fortemente os restos mortais de seus braços naquilo.

"Não… não… não… É impossível.. Por quê? Por quê??…", ele soluçou.

Mesmo que ele não tinha ideia do que era e do que essa coisa fosse, parecia que havia funcionado, Son Gohan tinha tido uma ideia: a adição da força vital dos dois lutadores infelizes que haviam sido sacrificados não tinha sido suficiente!

Ele estremeceu. Em retrospecto, teria exigido uma tal quantidade de energia para ativar esse monstro misterioso… Talvez eles teriam o necessário para destruir metade de toda a população da Terra enquanto ele ainda estivesse em seu auge!

Em seguida, ele quis dizer que Babidi provavelmente não estava brincando quando ele estava falando do potencial da criatura… Tanto poder dentro de apenas um lutador… Ele fez sua cabeça girar.

Assim Gohan ficou aliviado quando viu a estranha propagação do material viscoso debaixo dele… Ele também estava feliz que ele poderia evitar ter seus pés envolvidos naquilo… O cheiro horrível era suficiente para causar distúrbios em seu estômago.

Quanto ao gnomo… Ele agora parecia que ele tinha completamente perdido a cabeça. Ele estava tagarelando rabiscos e borrões bruscamente enquanto tanto seu rosto e os restos de seu corpo estavam manchados com este melaço repugnante.

Son Gohan suspirou.. Ainda que ele sabia muito bem a verdadeira natureza daquele pequeno ser, ele não podia deixar de sentir profunda compaixão por ele.

Ele baixou lentamente o hemisfério que estava segurando no lugar e, em seguida, subiu para o céu sem pronunciar uma única palavra.

Babidi não pareceu notar sua partida: ele estava rastejando e gemendo na camada pegajosa espessa que cobria o chão.

Com o coração pesado, o jovem Saiyajin subiu lentamente acima da cratera gigantesca que agora marcava o vale… Ele se levantou novamente, afastando-se do centro do buraco largo, dos dois hemisférios com sua calda rosa e ele observava a figura rastejante que estava dolorosamente se contorcendo na parte inferior da impressionante cavidade cada vez menor.

Ele parou quando ele alcançou a altitude certa e em primeiro lugar, tomou seu tempo para fazer a varredura lentamente no horizonte… Um campo deste mundo que tanto amava… Ele fechou os olhos para sentir a batida da energia dos seres humanos mais próximos, em seguida, abriu de novo depois de ter franzido a testa por um curto segundo.

Ele não gostou nada do que estava prestes a fazer…

Mas ele não podia luxo de não fazer isso!

Ele então olhou para cima para ver o céu infinito…

Ele teria adorado obter uma aprovação, uma palavra de encorajamento que iria ajudá-lo a fazer o que tinha de ser feito…

Mas ele desesperadamente estava sozinho. Ele nunca tinha conseguido criar um contato com o distante Kaioh. Com quem seu pai falava tão livremente. Ele lentamente e, infelizmente, baixou a cabeça… Todo o indício de presença divina parecia ter morrido com Kami-sama, há alguns anos.

Em seguida, ele teria que encontrar em outro lugar a motivação necessária que iria ajudá-lo a superar esta horrível sensação de nojo que ampliou a náusea provocada pelo cheiro estranho da coisa rosa.

Son Gohan fechou os olhos de novo… Como se ele estivesse indo rezar.

Na verdade, ele estava mergulhando nas profundezas de sua mente, procurando lembranças… E não as melhores!

Obrigou-se a experimentar de novo a morte de cada um de seus amigos. Ele viu Yamcha, Chaos, Tenshinhan, Piccolo morrendo contra Saibamen e Nappa… Kulilin explodindo sob as mãos de Freeza… A risada de Vegeta quando ele acreditava que seu pai tinha morrido em Namekusei… Seu grande corpo imóvel e branco deitado em seu no leito de morte… o caixão de Tenshinhan… Os cadáveres sangrentos de seu avô e Yamcha… O embrulho branco sobre Piccolo… O pobre Sr. Popo… as cinzas de Kami-sama… o pobre rosto de Chaos… Vegeta tendo seu corpo torturado e finalmente, a imagem de seu amigo Kulilin, com um estranho sorriso fixo no seu rosto para sempre… seu rosto sempre tão alegre…

E as lágrimas.. Sempre as lágrimas, ainda mais lágrimas, soluços e tristezas nos rostos daqueles que ainda estavam vivos… O espetáculo cruel assistido impotentemente em relação ao desespero daqueles que você amou enquanto já haviam muito problemas para gerenciar o seu próprio sofrimento!

E cada uma dessas imagens furadas lá no fundo como tantas lanças ardentes… A dor subiu nele como uma onda inexorável… Um tsunami emocional que bateu contra a sua mente, apagando qualquer outro pensamento.

Infelizmente, ele aprendeu como transformar essa dor horrível em raiva… E com um tal nível de emoção, ele estava em uma raiva profunda em que estava se forçando.

Transformando sofrimento em ódio durante todos estes anos não tinha sido realmente agradável. Mas tinha sido o segredo que Vegeta tinha lhe dado durante seu tempo na Sala do Tempo… Levou muito tempo para ele aprender como usá-lo de forma eficiente, mas a luta impossível contra os androides tinha sido uma motivação perfeita.

Ele não se desesperou de um dia obter capacidade para ir além de seus limites, para melhorar ainda mais e, eventualmente, ultrapassar e derrotar esses demônios mecânicos.

Seu rosto transfigurado, acendeu-se a sua aura intensamente que crepitava com os numerosos pequenos relâmpagos, como se estivessem dando boas-vindas a sua devolução.

Ele primeiro gritou… gritou por um longo tempo, arqueando as costas sob o esforço, cerrando os punhos para concentrar tanta energia quanto ele podia. Então, estendendo os braços em sua frente, sem parar desta vez, franzindo a testa devido a uma determinação cruel, mais uma vez ele disse as sílabas preciosas. Sua voz rouca e implacável … não soava mais como sua tradicional voz.

“Kameha-MEHAAAA!!”

Desta vez, ele não soltou a sua energia em um tiro longo, mas ele se concentrou em uma bola enorme e compacta que ele jogou em uma velocidade incrível, propelido por uma corrente poderosa que foi atrás dela e desapareceu imediatamente.

Assim que a bola de energia bateu no fundo da enorme cratera, ela explodiu ruidosamente e dilatou-se em uma cúpula assustadora e cegante. Ele rapidamente se transformou em um cogumelo duplo subindo a uma altura surpreendente para o céu!

Son Gohan não estava diretamente acima de seu ataque, mas ele ainda se movia para trás, protegendo o rosto com os braços cruzados para que ele pudesse evitar a explosão incandescente que brutalmente varreu os arredores.

O barulho da explosão rasgou a atmosfera antes de se transformar em um estrondo profundo que parecia abalar o planeta inteiro para baixo de suas profundezas… A paisagem em si parecia estar em convulsão, enquanto os estrondos de um trovão estavam prestes a se tornarem um longo assobiado em declínio.

Son Gohan foi para baixo novamente para testemunhar os resultados de seu ataque com uma pontada no coração.

O que ele tinha acabado de fazer o enojou, mas seu desconforto, foi além do medo de ter calculado mal o ângulo de ataque e a concentração de seu tiro.

Tal descarga poderosa de energia não poderia carregar tal aproximação… Ele tinha que se certificar de que seu tiro não penetrasse a crosta terrestre sob o risco de fazer dano, cujas consequências seriam catastróficas… E mesmo assim essa palavra soava fraca!

Uma brisa suave tratava de dispersar a poeira restante, que a incrível explosão elevou-a.

A cratera era mais larga… tão incrivelmente larga agora!

Não havia nenhum sinal de Babidi, do melaço e do casulo estranho … Toda a superfície que a explosão tinha cavado era lisa e clara.

No entanto, um pequeno choque estranho chamou a atenção de Son Gohan. Ele deitou na grama queimada que rodeava a grande ferida no meio do vale.

Ele voou em direção a esse detalhe estranho e pousou bem ao lado dela.

Um pedaço quebrado da casca marrom… Os restos solitários da passagem dos invasores foram levados pela explosão do enorme ataque e tinham ido parar lá… Son Gohan ajoelhou-se para levá-los, mas abandonou-os rapidamente… estava tão quente que o calor havia conseguido penetrar através de sua pele Saiyajin. A superfície bronzeada não tinha mais nenhuma marca de coisas rosa.

Bulma sorriu com ternura… Ela sabia que, apesar de seu desejo de deixar este lugar que o fez se sentir tão desconfortável, seu jovem amigo tinha esperado pacientemente que este material estranho ficasse mais frio para que ele pudesse trazê-lo de volta para ela.

Ela certamente conhecia este jovem melhor do que ninguém. Ela tinha visto ele crescendo e imaginou que ele tivesse coragem necessária para superar a sua verdadeira natureza e encontrar a força nele para matar o extraterrestre ferido em seu buraco.

A força que seu pai talvez não teria tido. Son Goku… tão generoso… Mais de uma vez, a sua fé imutável na natureza humana quase lhe custou caro.

Mas os espancamentos implacáveis dos androides tinham sido o ensino severo que tinha forçado Gohan a empurrar continuamente os limites de sua sensibilidade natural.

Sempre olhar para o lado positivo das coisas… certo? Naquele momento, as circunstâncias que haviam endurecido Gohan, o tão doce Gohan, tinha talvez os protegido de uma praga que poderia ter sido ainda pior do que aquela que lentamente aniquila a humanidade.

Era difícil acreditar que a situação poderia ter sido ainda mais catastrófica de que agora… Mas a experiência ensinou à Bulma que era sempre possível encontrar pior!

Falando de situações… O assobio de deslizamento da porta blindada agora devia estar prestes a finalmente preceder pela voz alegre de Trunks, que estaria impacientes para contar-lhe sobre suas próprias aventuras no passado.

Comentários sobre esta página:

Carregando os comentários...
[pt_BR]
EnglishFrançais日本語中文EspañolItalianoPortuguêsDeutschPolskiNederlandsTurcPortuguês Brasileiro
MagyarGalegoCatalàNorskРусскийRomâniaCroatianEuskeraLietuviškaiKoreanБългарскиעִבְרִית
SvenskaΕλληνικάSuomeksiEspañol Latinoاللغة العربيةFilipinoLatineDanskCorsu