DB Multiverse

Notícias Ler Minicomic Fanarts Autores FAQ Rss Feed Bônus Eventos Promos Parceiros Ajuda Torneio Ajuda Universo
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                               

DBM Universo dos Ciborgues (14): One Way

Escrito por Foenidis

Adaptado por Felipe e Henrique

Depois da morte dos guerreiros Z descritas em Twin Pain, os Universos 12 e 14 tiveram muitos ano em comum até começarem a se diferenciar um do outro. Quais eventos levaram à vitória de Trunks em um deles, e ao reinado dos Humanos Artificiais no outro?


Parte 1 :123456789
Parte 2 :10111213141516
Parte 3 :1718192021222324
[Chapter Cover]
Parte 2, Capítulo 10.

Traduzido por Henrique


Um forte arrepio percorreu os ombros de Bulma.

Quanto tempo ela levou para escrever o fim da estranha aventura de Son Gohan?

Cinco minutos pareciam tão pouco...

E ainda assim... não havia ecos de vozes felizes ecoando na sala subterrânea... Havia apenas o silêncio... e ela...

Um silêncio pesado... Um silêncio mortal...

Agora, tudo que a jovem mulher podia ouvir era as batidas de seu coração materno desassossegado... Os tambores ensurdecedores de um pavor que faziam que seu rosto empalidecesse.

Sua mão esticada muito lentamente... e ela sentiu uma espécie de queimadura na ponta do seu dedo quando ela clicou para fazer o fatídico relógio aparecer...

Seus olhos cor de turquesa de repente pareciam ser cinza...

O tempo... o presente... o passado... o futuro... Tudo simplesmente parou... A Terra parou de girar, qualquer ponteiro de qualquer relógio simplesmente parou, assim como seu coração que parou de bater... então explodiu!

Meia hora!

O tempo passou para uma boa meia hora!!

Tudo tornou-se surreal... Tempo, tela, sala, teto... O piso sobre o qual a jovem mulher encontrava-se havia entrado em colapso...

Não foi apenas um soluço que escapou de sua garganta, seus olhos... seu corpo inteiro... Foi uma tempestade, um tsunami de loucura que se sobrepôs a ela, que arrancou um grito longo e silencioso que desapareceu somente quando seus pulmões corriam sem oxigênio.

Quando ela finalmente recuperou o fôlego em uma série de soluços nervosos que violentamente a balançaram... ela gritou sua tristeza, seu desespero, seu desgosto... gritando no topo de seus pulmões o desespero insondável de uma mãe que percebeu que tinha perdido seu filho.

Não, não havia mais tempo... E em um mundo que não tinha sentido em tudo, Bulma permaneceu prostrada no chão, ela chorou, chorou até que ela não tivesse qualquer lágrima restando, chorou até suas glândulas lacrimais secarem, clamou até que não tivesse forças para respirar... Chorando pela morte como uma loba chora para uma lua muito longe...

Sim, ela gostaria de morrer... para dar a sua vida, para liquefazer a sua alma para o seu filho iluminado voltar... Para parar de viver de modo que ela não iria sentir a mordida ardente que a consumia... para ir até ele, para encontrá-lo... para envolver os braços contra ele e abraçá-lo apertado... Seu amor milagroso... Seu brilho de felicidade.

Quando Bulma levantou sua cabeça, ela teve um momento difícil abrindo suas pálpebras, muitas lágrimas tinham inchado elas e suas bochechas estavam queimando devido a todos os soluços que elas suportaram...

Ela sentiu-se tonta com seus ouvidos zumbindo... Levantou-se suas pernas dormentes, o que necessitou um esforço sobre-humano em sua opinião... E uma vez que ela estava fazendo isso, ela teve a sensação surreal de que estava flutuando entre dois mundos enquanto ela não conseguia desviar seus olhos velados e desesperados fora desse cenário terrível...

Várias horas agora... um abismo, um abismo intransponível entre a felicidade e a dor.

Ela sabia... Ela tinha entendido muito tempo atrás... Mas seu cérebro obstinadamente se recusou a falar as palavras terríveis, as palavras intoleráveis que ainda rasgavam seu coração e sua alma em pedaços:

Trunks não vai voltar!

Muito longe deste laboratório subterrâneo... havia um homem, com seu cabelo grisalho raro que não tinha sido escovado há um longo tempo, cuja barba não tinha sido aparada por quase tanto tempo. Sua barriga flácida podia ser vista fora do roupão de banho, desgastada pelas traças, que o homem não se incomodava de o fechar. Ele terrivelmente olhou para o teto do seu refúgio subterrâneo. Ele estava desmoronando sob os burburinhos maçantes que estavam apertando as paredes ao redor dele.

Suas mandíbulas rangiam quando ele estava andando nervosamente de um lado para outro através do pequeno espaço dentro do abrigo nuclear em que ele estava vivendo...

"Eles têm que voltar hoje...", ele rosnou. "É dia dos suprimentos... aqueles merdinhas!"

Seu estômago de repente soltou um gemido revelador.

Com um suspiro, o homem tomou um quadro que estava assentado sobre uma pilha de caixas que ele usou como baú... Seu olhar mudou, ele ficou cheio de tristeza quando ele passou a mão sobre a foto de uma jovem garota com um sorriso brilhante.

O coração do pobre homem tinha sido quebrado para sempre quando ele perdeu sua única criança... Mas no momento, assim como agora, quando a fome e o medo o assolavam... ele pensou que talvez fosse melhor que essa querida moça não tivesse vivido o inferno que o mundo havia se tornado.

Um terremoto apocalíptico de repente desequilibrou-o à medida que uma chuva de poeira caia do teto, que já sido dividido por rachaduras.. A luz da única lâmpada piscava... Ela não tinha caído longe desta vez!

Ele deveria desistir em relação ao comboio que levava os suprimentos de emergência... O comboio teria se virado na melhor das hipóteses... Na pior das hipóteses, ele teria sido destruído...

Se fosse esse o caso... É implícito que ele teria que esperar duas longas semanas para o próximo comboio... Se houvesse um próximo!

Os olhos do homem traduziam seu lamentável estado... No canto da mesa, havia três biscoitos miseravelmente pequenos, que tinham sido religiosamente empilhados, e agora foram cobertos com essa poeira cinza... No canto com o furo molhando.. o tubo de pasta de dente torturado não daria qualquer coisa agora, e sua reserva de água potável estava desesperadamente vazia... E a fonte de água não era bebível há um longo tempo agora... Ele iria estar doente como um cão novamente!

Suas mãos apertaram o quadro que ele agora estava segurando apertado contra o peito peludo... Com certeza, ele não suportaria ver sua pequena Videl passar por esses tormentos!

Seu queixo tremia quando duas grandes lágrimas destacavam suas pálpebras dolorosamente fechadas.

A tão corajosa Videl... Sua filha orgulhosa... Uma futura estrela... Que desperdício!

O sol tinha deixado de brilhar por alguns anos agora... Quantos exatamente? Ele não tinha forças para contar...

A destruição destes dois jovens loucos tinha aumentado, mas a vida ainda era suportável antes... A maior parte da cidade ainda estava de pé e quase tudo funcionava... Naquela época, ainda era possível fazer alguns recados e encontrar tudo o que era necessário.

Eles só precisavam ter certeza de que esses dois monstros estavam nenhum lugar perto... Eles haviam transformado um bairro tão cheio de vida em um cemitério cheio de fumaça!

Por pura sorte, sua cidade tinha sido razoavelmente poupada até agora ... Eles só tiveram de suportar as consequências da destruição luxuriosa dos gêmeos do mal duas vezes ... a primeira vez, eles tinham destruído uma zona comercial no centro da cidade, mas apenas quatro edifícios tinham desmoronado completamente ... E pela segunda vez, eles tinham sido interrompidos por um lutador incrível vestindo um terno de combate azul e laranja ... provavelmente era um androide já que também ele podia voar, assim como os outros dois, e ele parecia ser praticamente insensível contra golpes que teriam nocauteado um exército de elefantes!

Ele tinha visto com seus próprios olhos o cara ser jogado através de várias camadas de edifícios e, no entanto, ele voltou contra eles imediatamente! Ele tinha o visto desviar verdadeiros mísseis de fogo e, por sua vez, lançou foguetes de fogo de suas mãos nuas...

Nenhum ser humano era capaz de fazer tais maravilhas!

Naquele dia, ele tinha vindo com sua querida menina para renovar seu guarda-roupa.. Ela estava crescendo tão rápido.. A rádio informou que os dois assassinos estavam em algum lugar no sul... Mas o pedaço de informações não era aparentemente confiável... Eles tinham sido surpreendidos no caminho de volta por uma primeira série de explosões. Eles estavam tão perto.

Nesses casos... Nenhum lugar foi realmente seguro... A melhor coisa foi fugir o mais rápido possível!

E isso era o que a multidão densa estava fazendo. O pai e sua filha tinha sido apanhados em seu meio e não podiam se deixar por vencidos... Sua estatura e sua força eram apenas o suficiente para proteger seu tesouro da correria que jogou muitas pessoas pobres no chão.

Naquela época, ele tinha raspado o bigode e tingiu o cabelo encaracolado grosso de louro para que ele não fosse reconhecido... Então ele estava anônimo entre pessoas anônimas e estava tentando limpar o caminho para sua filha na multidão assustada.

Por que essa medida estranha?

Foi o que acontecera há vários anos... Em um momento quando o futuro do mundo tinha começado a inclinar-se.

Logo após os dois cataclismos pedestres tinham varrido do mapa uma megalópole inteira em apenas um dia... Eles pareciam estar lutando contra as pessoas misteriosas cujos poderes eram tão extraordinárias quanto elas mesmas... A partir de então, eles haviam aumentado consideravelmente o seu trabalho de destruição e morte... os danos tendiam a piorar, aumentando a preocupação da população.

Eles estavam tão preocupados que uma multidão obstinada tinha começado a cercar sua luxuosa mansão dia e noite, cantando o nome dele... Ele havia tentado de tudo como resposta... Dor de estômago, entorse... Ele até tinha feito um molde falso para braço e tornozelo quebrados... Mas nada tinha funcionado!

Um dia... A pressão da multidão tinha sido tão alta que o portão cedeu e a população viu quando ele estava saindo do banho... Claro, ele tinha retirado seu gesso falso!

E em muito pouco tempo, ele estava vestido e cingido com o cinturão de campeão do mundo por centenas de mãos inflexíveis. Em seguida, ele foi levantado e, literalmente, levado a um avião que o trouxe até a periferia da cidade vizinha. A coluna de fumaça negra subira acima dos edifícios, enquanto o som abafado de explosões sacudira o país circundante.

Outra multidão tinha-lhe dado boas-vindas com urros ensurdecedores e ele foi jogado em um veículo blindado antes mesmo que ele tivesse tempo de dizer nada. O carro entrou em movimento imediatamente.

Tentando não tagarelar, ele teve de suportar os olhares dos soldados que estavam com ele no carro quando, uma vez que a escotilha estava aberta, ele hesitou em subir as escadas de metal que levavam ao ar ... Um ar que foi abalado por explosões titânicas e invadido por miríades de fagulhas de fogo que esguichavam com o fogo queimando blocos inteiros.

Aos olhos daqueles homens, ele tinha visto admiração e esperança...

E quando ele tinha reclamado de um outro problema gástrico, ele tinha visto a expressão em todos esses olhos indo da luz à sombra de decepção e censuras. Devido a isso, ele teve um aumento de orgulho.

Afinal, ele era o Campeão do Mundo... A esperança desses poucos soldados tinham tido o poder de reavivar as memórias dos 'urros' e dos aplausos de uma multidão dedicada a ele... As hordas de jornalistas implorando por uma palavra, um sorriso... as meninas histéricas gritando e desmaiando em seguida, em seu caminho... as câmeras, o crepitar dos flashes... Ele era o único... o campeão imbatível de um planeta inteiro...

Ele era Satan!

Ele não podia decepcionar esses milhões de admiradores que lhe havia dado tanto!

Assim, com coragem e determinação, ele finalmente decidiu sair do veículo blindado... As explosões tinham desaparecido de qualquer maneira...

Uma pequena caminhada no campo de batalha... e hop! Como um flash... Ele teria mostrado boa vontade... Isso faria... Em qualquer caso, ele não podia voar para ir atrás deles... O que seria uma boa desculpa, he he he!

O poderoso eco de uma gigantesca explosão abalou então o distrito destruído.

Uma onda de choque impressionante subiu no chão, como se não fosse nada... O campeão, que havia perdido o equilíbrio, encontrou-se sentado, com sua bunda no chão, conforme uma chuva de poeira e escombros de qualquer tamanho caiam dos edifícios circundantes...

Ciente do grotesco da situação, Satan lançou um olhar preocupado para os carros blindados ... ao ver que eles foram levados rapidamente de volta como numerosos destroços que caiam sobre suas armaduras, emitindo sons claros.

Covardes!

Eles se atreviam a deixá-lo por conta própria, ele! O campeão de todas as categorias, no meio deste caos... de toda esta destruição... tudo sozinho e sem nenhuma audiência!

Isso realmente valia a pena! Ele tinha corrido tantos riscos... para nada!

Hey... na verdade...

Não há mais audiência... Essa era a ocasião certa a desaparecer... rápido como um flash.

Uma última olhada ao redor para ter certeza... Oh bem, depois de tudo... Mesmo que houvesse olhos para ver, ele sempre poderia dizer que estava correndo em direção ao inimigo!

Então é melhor fazer o show completo, você nunca sabe!

Ficando de pé mais uma vez, o campeão assumiu uma dessas posturas que só ele sabia, estufando seu peito para um público invisível... Em um gesto majestoso, ele virou-se cada cauda de seu manto de seda longo em seus largos ombros... Ele fez bem uma figura, e ele sabia disso!

Em seguida, com as mãos nos quadris, em uma pose tão viril, ele virou-se lentamente, como se fosse fazer a varredura em torno de...

De repente, ele dobrou excessivamente no lado, uma de suas mãos perto de sua orelha direita... Então, com um grande sorriso vencedor e uma elevação significativa de suas sobrancelhas, ele estendeu seu dedo indicador, num gesto de triunfo...

No momento seguinte, depois de dois movimentos de balanço tão ridículos quanto o resto de sua pantomima*, ele finalmente correu para virar na esquina da rua mais próxima.

NT: Pantomima é um teatro gestual que faz o menor uso possível de palavras e o maior uso de gestos através da mímica.

Comentários sobre esta página:

Carregando os comentários...
[pt_BR]
EnglishFrançais日本語中文EspañolItalianoPortuguêsDeutschPolskiNederlandsTurcPortuguês Brasileiro
MagyarGalegoCatalàNorskРусскийRomâniaCroatianEuskeraLietuviškaiKoreanБългарскиעִבְרִית
SvenskaΕλληνικάSuomeksiEspañol Latinoاللغة العربيةFilipinoLatineDanskCorsu