DB Multiverse

Notícias Ler Minicomic Fanarts Autores FAQ Rss Feed Bônus Eventos Promos Parceiros Ajuda Torneio Ajuda Universo
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                               

Dragon Ball Multiverse, o romance

Escrito por Loïc Solaris & Arctika

Adaptado por Rafael

Tradução da fanfic francesa de DBM para o português

Intro

Parte 0 :0
Parte 1 :12345

Round 1-1

Parte 2 :678910
Parte 3 :1112131415
Parte 4 :1617181920
Parte 5 :2122232425
Parte 6 :2627282930

Lunch

Parte 7 :3132333435

Round 1-2

Parte 8 :3637383940
Parte 9 :4142434445
Parte 10 :46
[Chapter Cover]
Parte 2, Capítulo 6.

PARTE 2: MUITOS VELHOS INIMIGOS POR AQUI!

Capítulo 6

Traduzido por Rafael


Observador como sempre, Piccolo comentou enquanto notava os espaços vazios. “Então esse é o espaço reservado a nós, o Universo 18. O torneio certamente irá começar quando eles preencherem os espaços restantes a nossa direita.”

Ao lado dele, Gohan também comentou. “Então os 17 espaços a nossa esquerda já devem ter si-”

Gohan havia parado no meio de sua sentença. Ele foi o primeiro a olhar para a esquerda e ficou estarrecido. “O-olhem!É o...”

Goku, ao lado dele, e Vegeta, um pouco atrás, ambos viraram suas cabeças para olhar.

"Cell!"

Goku ficou tão surpreso quanto seu filho. A idéia de universos alternativos lhe fora bastante vaga, e ele não havia imaginado que tal coisa pudesse ser possível. Mas lá estava ele! Cell estava bem ali, parado em frente a eles!

“Vocês outra vez,” comentou a criatura verde, não muito feliz em ver Goku e os outros. Ele então pensou consigo mesmo, “Aqui estou eu, cercado por dois Gohans...”

Cell era visivelmente idêntico a sua contraparte do Universo 18 durante o Torneio de Cell em sua forma perfeita. Ele permanecia bem no meio de seu espaço, braços cruzados. Ele esperava pacientemente a sua primeira luta ser anunciada. De seu ângulo, nossos heróis não podiam ver a pequena criatura azulada entre suas pernas, exceto por Piccolo, que era alto o suficiente para vislumbrar uma pequena parte.

“Ele nos conhece,” observou Piccolo. “Ele certamente nos matou em seu universo e permaneceu sendo o mais forte lá.”

“Você está provavelmente certo,” respondeu Goku, “mas eu não acho que era disso que ele estava falando. Veja!” ele continuou, apontando para o espaço de número 16, “Somos nós!”

Atrás de Cell, Goku começou a sondar o espaço do Universo 16. Ele viu Gohan conversando com Piccolo, Trunks e Goten conversando alegremente um com o outro, Videl e Bra, que estava encostada contra o arco na entrada da porta de seu espaço.

“Vamos explorar os outros grupos!” propôs Trunks, pulando sobre o muro que definia o espaço do Universo 18.

Goten o seguiu imediatamente. Ele facilmente alcançou Trunks, que parou três metros a frente, proferindo um calmo “Oh...”

Trunks havia notado seu pai… Ou melhor, um alter ego de seu pai vindo do Universo 13. Vestindo uma armadura Saiyajin com ombreiras douradas, uma túnica azul, e uma capa vermelha, Príncipe Vegeta estava acompanhado por um homem enorme, e mais musculoso a sua direita. Careca, vestindo o mesmo tipo de armadura, mas vestido com simples shorts de cor preta ao invés da túnica azul, ele parecia zombar em seu canto. Atrás dele estava outra pessoa, com longos cabelos pretos ultrapassando a parte inferior de suas costas, vestindo também o mesmo tipo de armadura saiyajin, com cara de poucos amigos. Ele parecia não prestar atenção aos comentários infantis vindos de seu colega perante ele. O último guerreiro do grupo... Era Goku! Mas seu olhar dizia muito sobre sua natureza. De fato, esse Goku permaneceu como “Kakarotto” como Goku teria não fosse ele bater com sua cabeça quando criança.

Principe Vegeta do Universo 13 parecia olhar para sua esquerda com nojo em seus olhos. Trunks e Goten procuraram ver o que ele estava olhando, e estavam próximos de descobrirem. No Universo 12 eles não viram ninguém, certamente os guerreiros encontravam-se dentro dos apartamentos de seu espaço. Eles viram Dabura no Universo 11. O Universo 10 consistia em vinte pessoas, Namekuseijins e Saiyajins. O Universo 9, assim como o universo 12, estava vazio. Quanto ao Universo 8... Eles viram Freeza!

Ele estava em sua forma final, mas restrito, já que ele não possuía os enormes músculos de seu poder total. Ele também não estava metade cibernético. Trunks e Goten haviam o reconhecido facilmente; Bulma tinha os mostrado uma foto dele no passado. Enquanto ela estava reparando #16 antes do Torneio de Cell, ela obteve todas as imagens contidas no robô espião de Dr. Gero, incluindo imagens de um Freeza cibernético.

Freeza olhou para o quarteto Saiyajin com um olhar de divertimento em seu rosto. Não havia dúvidas de que em seu universo, ele mesmo havia matado Vegeta.

“Há muitos monstros aqui que nossos pais lutaram no passado,” disse Trunks quando seus olhos vieram a parar em Bojack no espaço do Universo 6.

“Olhe, Majin Buu!” Disse Goten, apontando para o espaço do Universo 11.

O djinn rosa, de aparência inocente e com cara de bebê veio para fora do interior do espaço 11 para se juntar a Daburá. Ele estava acompanhado por ninguém menos que Babidi, feio e enrugado como nunca, e Daburá.

“Isso trás de volta lembranças, “relembrou Trunks enquanto observava-os.

“É a oportunidade perfeita, cara!” exclamou avidamente seu amigo. “Gotenks irá finalmente derrotar Majin Buu de uma vez por todas!”

“Não parece que ele ficou mais forte,” disse Trunks.

“Sim, e nós estamos muito mais fortes!” respondeu Goten. “Não somos mais crianças!”

“Venceremos facilmente!” Eles exclamaram em unisom.

Atrás do par, os olhos de Vegeta analisaram por um momento a aba do Universo 10. Mesmo com a distância, ele achou a si mesmo... denovo. Apesar da barba, ele reconheceu a si próprio facilmente devido ao penteado. Parado logo atrás dele estava seu pai, Rei Vegeta. Cabelos acinzentados, corcunda... ele parecia um idoso.

“O que você viu, pai? Perguntou Bra atrás dele.

“Nada, Nada de mais.” Vegeta respondeu simplesmente.

Vegeta andou alguns passos para longe... Não era ele mesmo que o incomodava... Não mesmo. O que o incomodava era o fato de que naquele universo, os Saiyajins ainda vestiam roupas primitivas. Peles de animais! Esses Saiyajins estavam longe de serem tecnologicamente avançados. Esses Saiyajins também possuíam caudas, detalhe que Vegeta, junto com sua contraparte do Universo 13, não possuíam.

Gohan e Piccolo ambos notaram que Vegeta estava inquieto. Eles dois então olharam para o Universo 10.

“São dois grupos.” Piccolo notou. “Eu sinto a presença de Nail e de outros Namekuseijins.”

“Esse parece ser um universo sem Freeza.” Disse Gohan. “Eles certamente não podem se transformar em Super Saiyajins.”

Trunks de repente teve uma percepção. “Ei! Isso significa que meu avô está lá!”

Trunks lançou um olhar para Goten. “Talvez.... talvez o meu também esteja lá!” Disse Goten. “Vamos!”

Enquanto a dupla corria em direção ao espaço do Universo 10, Gohan os chamou por trás. “Vocês vão tentar falar com eles? Vocês ficaram desapontados...”

Diferente de seu ingênuo irmão mais novo, Gohan havia testemunhado em primeira mão a brutalidade de verdadeiros Sayajins de sangue puro, que não são nada parecidos com o quieto e sereno Vegeta do Universo 18. Gohan se lembra bem da violência e crueldade dos mesmos. Eles nem mesmo se importavam em matar membros de sua própria família.

Gohan se virou para Bra.” E você, Bra? Não quer ir com seu irmão e Goten?”

“Huh? Você viu aquelas roupas? Respondeu a garota arrogantemente. “Eu não vou ficar andando por ai com eles!”

“Tinha me esquecido como você é exigente sobre como as pessoas se vestem,” suspirou Gohan.

Goten e Trunks passaram perto do espaço de Freeza, mas com todo o barulho ao redor deles eles não puderam ouvir nada da conversa ocorrendo lá.

“Saaaaaaiyajins outra vez.” Freeza resmungou.

“Parece que estamos faltando em muitos universos,” disse seu pai, braços curzados assim como seu filho. “Essa escória deveria ser eliminada em toda parte.”

O pai de Freeza era Rei Cold. Ele vestia uma armadura como a dos Saiyajins, diferente de seu filho, e vestia uma capa, marca de sua soberania. Ele também era reconhecido por sua altura e cifres em sua cabeça, os quais lembravam a segunda forma de Freeza.

“Tudo isso está para mudar, disse um homem branco-arroxeado, comparado em tamanho com Freeza e provavelmente da mesma família, “estejam certos disso.”

“O que quer dizer, Coola?” perguntou Freeza sem olhar.

“Agora que achamos Namekuseijins que concedem desejos ao invés de se deixarem morrer...” Coola começou. “Não iremos perder esta oportunidade! Todos os universos serão nossos.”

Cold ficou encantado e sádico. “E cada mundo contido neles. Eu vejo que temos a mesma idéia, meu filho. Hehehe.”

Freeza, no entanto, estava um pouco preocupado. “Vamos apenas rezar para que nenhum destes universos tenha o Super Saiyajin das lendas.”

Freeza sempre havia temido o Lendário Super Saiyajin... O que o levou em muitos universos a destruir o planeta Vegeta...

Na ponta do espaço do Universo 10, Trunks chamou alegremente, “Ei! O Rei! Posso falar com você?”

“Quem se atreve a me chamar dessa forma?” Gruniu Vegeta por de trás de sua barba.

“Você não, seu estúpido!” Respondeu Trunks. “É o seu pai quem eu quero ver!”

“O quê!?” O Rei gritou. “Você me ofende, garoto!?

“Ei, pegue leve, meu velho.” Disse Trunks na defensiva. “Na minha dimensão você é o Príncipe dos Saiyajins. Então onde está seu pai?”

“Hum. Eu não quero saber o que aconteceu no seu universo, mas meu pai, o Rei Vegeta anterior, está bem aqui. “Vegeta disse depois de levar dois segundos para se acalmar, apontando o dedo polegar até o velho homem que estava atrás dele.

O velho, Ex-Rei Vegeta se aproximou de Goten e Trunks, apenas por curiosidade.

“Wow.” Goten comentou. “Vocês se parecem muito um com o outro, apesar da diferença de idade.

“Mas me diga, você é rico?” Perguntou Trunks. “Eu comando a maior companhia em meu planeta.”

“Vocês tem um palácio?” Perguntou Goten.

“Quantos anos você tem?”

“Hmph!” zombou o velho Rei Vegeta, bombardeado com perguntas.

“Ei, garotos,” Interveio um dos Saiyajins. “Acalmem-se! O Rei não é tão jovem para isso!”

O velho Rei Vegeta começou a tossir… Forte. Tão forte e tão freqüentemente que o Saiyajin que o estava defendendo ficou um pouco envergonhado, e ficou ao seu lado como se sua presença fosse ajudar…

No espaço do Universo 18, Gohan e Piccolo observavam os dois meio-Saiyajins engajados com o grupo de Saiyajins. Isso deu a Gohan uma idéia, e ele foi para contá-la a seu pai. “Pai... você não quer ir conhecer seu pai?”

Goku foi pego de surpresa. “Eu não sei... Ele não é meu pai para mim.”

“Bem, talvez ele queira conhecer você!”

“Eu nem mesmo sei o que dizer.”

“Tão complicado…” Disse Piccolo.

Piccolo começou a levitar lentamente, e ele voou em direção ao espaço do Universo 10. Ele voou sobre o Saiyajins primitivos, que se perguntaram em voz alta o que Piccolo estava tentando fazer. Piccolo pousou em frente ao grupo de Namekuseijins.

“Olá, Nail.”

“Você é um novo grupo?” Perguntou Nail.

“Um pequeno conselho,” disse Piccolo imediatamente, ignorando a pergunta retórica, “sejam cuidadosos com esses saiyajins... Em meu universo, eles costumavam aniquilar planetas inteiros.”

“Não se preocupe por hora,” respondeu o guerreiro que havia se fundido com Piccolo no Universo 18 há mais de 30 anos atrás. “Os nossos não possuem tecnologia para viagens espaciais.”

“Mas…” Piccolo começou, surpreso. “Não há um Freeza em seu universo?”

“Freeza?” Disse Nail, dando uma olhada até o Universo 8. “Nós ouvimos falar sobre ele enquanto viajávamos para fora de nosso mundo fugindo de um cataclismo. Novamente, sem problemas. Toda sua família, que você vê lá, foi morta por um cara chamado Kaioshin.”

“Kaioshin...?”

“O menor dos Deuses que vemos no espaço do Universo 1, bem ali.” Disse Nail, apontando para os cinco deuses no universo dos organizadores.

Esses deuses eram facilmente reconhecíveis. O que era mais notável a primeira vista eram seus penteados, todos os mesmos: como uma crista espinhada sobre seus crânios. Somente o cabelo da deusa que era levemente diferente, o qual batia abaixo de sua omoplata. Todos eles estavam usando brincos e o mesmo tipo de sarja.

O pequeno homem com um bigode, o mais velho dos deuses, tinha uma mecha de cabelo caindo sobre sua testa. Ele era facilmente reconhecível por seu bigode, já que ele era o único dos deuses que possuía um.

Entre o pequeno Kaioshin que o Universo 18 era familiar e a Kaioshin fêmea do oeste estava o maior dos deuses: o Kaioshin do Sul. Ele tinha cerca de vinte vezes o tamanho de um Varga que estava conversando com o grupo. Ele era imponente, e seu porte físico era de certa forma apto ao combate.

Em contraste com o fisicamente adaptado Kaioshin do Sul, Dai Kaioshin, o líder dos Kaioshins, era mais atarracado, menor, mas maior, largo, e seus braços eram a metade mais largos que os braços do Kaioshin do Sul. Ele também não vestia o mesmo tipo de sarja que seus companheiros. Alguém poderia pensar que suas roupas foram confeccionadas especificamente para serem mais confortáveis. Era apenas uma pequena jaqueta, a qual era fina e flexível.

Finalmente, o menor dos deuses era tingido em azul. Ele parecia ser o mais novo, e não o mais forte, também, apesar do fato de que foi ele quem derrotou Freeza em seu universo. Piccolo descobriu que este Kaioshin não era tão forte quanto o mesmo do Universo 18 durante os eventos de Majin Buu... Ele começou a imaginar como a luta havia se desenrolado contra o tirano universal...

“Eu deveria ir falar com eles…” Disse Piccolo para seu velho “amigo”.

“Eu sinto como se te conhecesse… Qual é o seu nome?” Perguntou Nail, muito interessado.

“Piccolo, Freeza atacou seu planeta em meu universe e eu achei você morrendo. Você decidiu se fundir comigo para que junto pudéssemos enfrentar Freeza... Por um curto período...”

“Ah sim,” disse Nail, sorrindo. “Isso explica seu poder...”

Enquanto Trunks continuava a interrogar o velho Rei Vegeta, Goten perguntou a um dos outros guerreiros Saiyajins. “Estou procurando por alguém em específico! O pai de... Er, Kakarotto!” Ele disse, fazendo um esforço para se lembrar do nome de Saiyajin de seu pai.

“Kakarotto? Nunca ouvi falar.” Respondeu um dos saiyajins primitivos. .

Gentilmente empurando uma mulher Saiyajin para fora de seu caminho, um homem havia emergido da multidão e respondeu a Goten. Esse homem possuia uma boa musculatura, tinha uma cicatriz em seu rosto, e tinha algumas cicatrizes em seu peitoral. “Eu tinha um filho chamado Kakarotto...” Respondeu o Saiyajin. Mas ele está morto.”

“Nossa!” Disse Goten ao vê-lo, punhos cerrados com uma expressão de encanto em seu rosto. “Quando vi seu rosto pude ver que você era o cara!”

“Eu… O que?” Respondeu o Saiyajin, confuso.

“Sua esposa está aqui?” Perguntou Goten. “Posso tirar uma foto de vocês dois? Com eu no meio?”

“O que é uma “foto”?”

“Você ao menos trouxe uma câmera Goten?” Trunks perguntou maliciosamente.

“Oh… Uh… Bem, não… Maldição.”

“Quem são vocês?” Perguntou Bardock finalmente.

“Nós somos seus descendentes.” Disse Trunks. “Eu sou o neto do Rei Vegeta.”

“E eu sou o seu neto.” Disse Goten para Bardock.

“Então você piralhos são nossos descendentes de outro universe?” Perguntou o velho Rei Vegeta, aborrecido.

“Sim!” Respondeu os dois ao mesmo tempo.

“Olha.” Disse Trunks, enquanto ele pegava uma das poucas fotos em família que tinha em sua carteira. “Aqui é minha casa, minha mãe, minha irmã, e meu pai, que está amuado porque não gosta de fotos. Finalmente, esteja certo de que você fica bem melhor sem barba.

“Ainda me insultando!? Você irá se arrepender de ter nascido!”

Rei Vegeta resmungou interiormente. Mesmo em outro universo permitiria ele seus filhos serem tão rudes assim? Isso deve ser normal. Afinal, esses eram obviamente filhos “bastardos”.

“Que vergonha!” Rei Vegeta exclamou. “Vocês não são nem mesmo Saiyajins de verdade!”

O comentário de Vegeta parecia bem familiar para ambos os meio-Saiyajins e Piccolo. Esse temperamento lembrava-os de Vegeta trinta anos atrás.

“Oh por favor!” Respondeu Trunks. “Nós dois poderiam esmagar todos vocês facilmente!”

“Sim!” Goten adicionou. “Apenas desistam!”

Em frente aos Saiyajins mestiços, os primitivos Saiyajins se perguntaram se esses garotos estavam brincando… Ou se eles realmente eram tão fortes assim. De qualquer modo, eles estavam bem longe de suspeitar da existência dos vários níveis de poder dos Saiyajins.

Comentários sobre esta página:

Carregando os comentários...
[pt_BR]
EnglishFrançais日本語中文EspañolItalianoPortuguêsDeutschPolskiNederlandsTurcPortuguês Brasileiro
MagyarGalegoCatalàNorskРусскийRomâniaCroatianEuskeraLietuviškaiKoreanБългарскиעִבְרִית
SvenskaΕλληνικάSuomeksiEspañol Latinoاللغة العربيةFilipinoLatineDanskCorsu