DB Multiverse

Notícias Ler Minicomic Fanarts Autores FAQ Rss Feed Bônus Eventos Promos Parceiros Ajuda Torneio Ajuda Universo
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                               

Dragon Ball Multiverse, o romance

Escrito por Loïc Solaris

Adaptado por Rafael

Tradução da fanfic francesa de DBM para o português

Intro

Parte 0 :0
Parte 1 :12345

Round 1-1

Parte 2 :678910
Parte 3 :1112131415
Parte 4 :1617181920
Parte 5 :2122232425
Parte 6 :2627282930

Lunch

Parte 7 :3132333435

Round 1-2

Parte 8 :3637383940
Parte 9 :4142434445
Parte 10 :46
[Chapter Cover]
Parte 6, Capítulo 28.

PARTE 6: A PRIMEIRA LUTA FATAL DE PAN!

Capítulo 28

Traduzido por Rafael


Pan caiu, imóvel. Bojack permaneceu vitoriosamente no ringue por um momento para testemunhar a queda da menina.

No mesmo instante, o apresentador gritou em seu microfone," Pan morreu, Bojack do Universo 6 é o vencedor!"

A frieza ecoou nas palavras do apresentador. Nem mesmo a morte de uma criança teve uma influencia no tom desses apresentadores! Em um torneio onde matar era permitido, isso era de se esperar...E era verdade que a morte dela seria apenas temporária...Mas ainda sim...

"Pan!" gritou a sua mãe, voando em direção a ela, chorando e esticando seus braços para pegar a sua filha.

Mas fora Son Gohan quem de repente apareceu atrás de Pan para pegá-la. Ele apareceu tão rápido atrás dela, seus braços já na posição correta que parecia que ele se teletransportou. Ele curvou sua cabeça, descendo lentamente para tocar o solo, e seguiu Videl, perturbado.

Um sorriso medonho era perceptível na face do músculo e rude homem de pele verde. "Então é só isso? Uma pena que tive que mostrar minha real força na primeira rodada... Enfim, meu próximo oponente é esse Cell..." ele pensou, olhando de relance na direção de seu oponente do Universo 17.

Vegetto e Som Goku se reuniram ao redor a ala do universo 16. As Videls dos Universos 16 e 18 estavam chocadas. Elas caíram sobre seus joelhos, chorando, quando Bojack tinha quebrado o pescoço da amada filha adolescente delas...Os Son Gohans haviam cerrado seus punhos e trincado seus dentes...E quando Bojack literalmente jogou a filha deles, Gohan do Universo 16 havia sumido para pegá-la, muito mais rápido do que sua esposa.

Agora, uma diferença fundamental existia entre os dois Universos...

No Universo 18, Videl rapidamente envolveu sua filha em seus braços para conforto. pan havia acabado de perder uma amiga, e isso era pior do que ver a ela mesma morrer...Ela estava aos prantos, tremendo, enquanto se beneficiava da presença de seu pai para reconfortá-la. Gohan olhou para sua contraparte no Universo 16. Ele tinha acabado de perder sua própria filha e a única coisa com que ele se poderia contar era a ressureição dela pelas mãos dos Vargas no final do torneio. Mas...será que ele poderá conter a sua raiva? Mesmo no Universo 18, Gohan estava calmo, mas interiormente ele estava furioso. Essa Pan ficou realmente próxima de sua filha. Se ele próprio estava em seu limite, o que dizer sobre sua contraparte no Universo 16?

Enquanto Gohan caminhava lentamente em direção a sua ala no Universo 16, várias discussões surgiam em toda a parte. Na audiência, era sobre o implacável Bojack, a segunda pessoa a matar alguém no torneio, ou mesmo o fato de um limite de idade não existir...

No Universo 13, aquele dos 'Super Saiyajins', Kakarotto disse divertidamente, mais para si do que para seus companheiros, “Aqueles idiotas. É isso que eles ganham por deixarem aquela fedelha entrar, hehe.”

“Eles irão ficar mais do que arrependidos,” disse Raditz atrás dele. “Em poucos segundos, todos eles serão eliminados.”

“Huh? Por quê?” Nappa se perguntou em voz alta, enquanto se aproximava do irmão, Kakarotto.

“Por quê é proibido lutar fora dos combates...” Raditz disse, “E esse grupo não possui em Vegeta nervoso como o nosso para parar os fracos de mente.”

“Ei,” disse Kakarotto, muito envergonhado que seu comportamento havia sido alteado pelo Ataque do Feromonio. “Eu estava...”

Mal ele havia começado a sua sentença e ele fora interrompido por um forte poder que parecia subitamente ter surgido no Universo 16. Apesar de Gohan estar queimando por dentro, sua face só expressava seu desgosto...Ele não era aquele que estava emitindo esse novo poder...

“Você vai morrer, Bojack!!” gritou Bra, transformando-se instantaneamente em um Super Saiyajin, como Pan fez a vários minutos atrás.

Muitas pessoas ficaram surpresas pela subita transformação da garota. Na ala do Universo 17, Cell, após ficar surpreso com Pan, ficou novamente chocado. E essa garota não parecia ser mais fraca que Pan...

No Universo 18, todos ficaram atonitos. A primeira a ficar aturdida pelo poder da garota foi ninguém menos que sua própria contraparte. Vegeta olhou para ela por um momento, e se tornou evidente que isso não era um segredo do qual ela estava guardando... Vegeta não queria admitir isso, mas o agradava saber que ela tinha a capacidade para se transformar em uma Super Saiyajin. Pan também ficou atônita...Primeiro com sua contraparte, agora com Bra...isso não ajudou ela a recuperar a confiança em sua força. Se até mesmo Bra podia se transformar, em um universo ou em outro, ela seria definitivamente mais forte... O que ela poderia fazer?

Ao lado de Son Goku, o qual o rosto estava sorrindo com surpresa, Uub ficou praticamente maravilhado. Uma Bra Super Saiyajin, que estava realmente treinando... Que classe! Que força! Que pose! Entretanto, enquanto Uub mantinha seus olhos fixos nela, da cabeça aos pés, ela de repente parecia cheia de ódio e se preparando para voar.

“Não, Bra! Não fora do combate!” Piccolo gritou, esticando seu braço, mas incapaz de alcançá-la. De fato, Bra já estava se preparando para avançar de cabeça em Bojack, que estava começando a entrar na ala de seu Universo.

Ela foi finalmente parada pelo seu pai, Vegetto, que a segurou pelos ombros.

“Piccolo está certo. Nós seremos enviados de volta para o nosso mundo e Pan não seria trazida de volta a vida no final do torneio.”

Bra continuou a gritar de raiva interiormente. Ela se virou para encarar o seu pai, que viu que ela estava menos controlada. Seria ruim se ela ficasse irritada agora... Vegetto continuou a falar para acalmá-la.

“Olhe, até mesmo o seu irmão, apesar da raiva lendária dele está se contendo. Então não comece com seu ataque de cólera habitual...”

Era verdade que Gohan, como um adulto, era sempre calmo e alegre... No entanto, ele também fora visto explodindo em poder devido a fúria bem justificada. Alguns podem até dizer que essa era a fonte de sua força. Alguns Cells em certos universos poderiam confirmar isso...alguns Bojacks em certos universos, também! Similar a Gohan, Bra geralmente explodia em um temperamento ardente...e isso significava que Vegetto teria que convencê-la a se acalmar. Uub escutou essas palavras e estremeceu. A Bra de seu universo era uma garota caprichosa e longe de ser simples. Mas ela nunca tinha demonstrado um temperamento tão poderoso quanto esse...

O momento em que Vegetto terminou de falar, Gohan alcançou o pequeno muro que separava os Universos. Ao invés de pular sobre ele, ele continuou caminhando e passou bem através dele...como se isso não fosse nada...como se o muro nem mesmo existisse. A barreira explodiu sob a força de um poder ainda não visto, uma aura preenchida com raiva.

“Aqui, Gohan,” disse Piccolo, mantendo sua calma como sempre, conjurando em suas mãos um objeto côncavo, quase do mesmo tamanho de Pan.

“Obrigado, Senhor Piccolo,” respondeu seu ex-estudante ao colocar sua filha dentro do recipiente.

Após ficar ao lado dela por um momento com sua esposa, a vigília de Gohan fora interrompida subitamente por detrás dele por Bra.

“Irmão! Bojack deve morrer! Eu vou...”

“Você não vai fazer nada, Bra! Bojack jogou pelas regras. Nós não temos permissão para o atacar.”

“Então você não vai encostar um dedo nele? Você não quer se vingar pela sua filha?” Bra continuou raivosamente.

Son Gohan tremeu muito. Bra não estava ajudando-o a se acalmar mesmo. Ele tirou os seus óculos. Seus olhos buscando sua esposa, a qual a presença já o confortava...mas isso não era o suficiente. Dando para ela os seus óculos, ele virou, cerrou o seu punho, e permitiu que um pouco de sua raiva explodisse com seu ki. Uma aura branca violenta o cercando.

Depois da surpresa da força de Bra que era bem maior que a de Pan, talvez até mesmo maior que a de Bojack, os espectadores e combatentes dos outros 19 universos ficaram maravilhados com o poder emanando de Gohan.

No Universo 19, o qual representava o universo populado com os “nano-guerreiros”, um apelido que eles ganharam de uma boa parte de pessoas que não conheciam nada sobre eles, um dos combatentes mensurou a energia que parecia estar sendo emitida pleo meio-Saiyajin e que se espalhava através do estádio com um Sensor de Força.

“O asteróide está tremendo?” perguntou um dos soldados que trajavam armaduras.

“Meus sensores estão detectando um enorme fluxo de energia!” seu amigo em pânico respondeu enquanto olhava para cada lutador.

No Universo 4, o único lutador presente cruzou seus braços e sorriu.

“Ah, eu vejo que Son Gohan não perdeu nem um pouco de poder! Que interessante!”

No Universo 17, Cell estava ainda mais surpreso. Esse é o quão forte Son Gohan era como um adulto? Que força! Naquele tempo, ele tinha ficado tão impressionado pelo poder de luta de Gohan quando ele teve que cometer suicído. Mas isso...isso era algo completamente diferente!

Quanto ao Namekusei-jin no Universo 7, que parecia estar dormindo desde que o Universo 18 chegou...abriu os olhos pela primeira vez, intrigado por esse poder.

“Bra!” disse Gohan, colocando a si mesmo em frente a ela com seus punhos cerrados. “Se você quer descarregar a sua raiva, me bata. Mas não coloque a nossa participação em perigo...e a ressureição de Pan com isso!” ele gritou finalmente quando seu poder aumentou como um resultado de sua fúria. Sua raiva sacudiu o asteróide inteiro. Pequenos pedaços do ringue que haviam caido na ala do Universo 16 estavam voando ao redor de Bra e de Gohan como um resultado de sua violenta aura branca . Até mesmo Bra tremera ligeiramente por conta da expressão incomum na face de Gohan.

Bra parou imediatamente pelo som da idéia de vingança de seu irmão para Pan. Ela amava Gohan e a filha de Videl...Ela era a tia dela...Ela queria vingança, mas ao mesmo tempo ela não podia ir contra o seu irmão. Ele estava certo...

“Ok...” ela disse afinal após se acalmar e virar sua cabeça em direção ao solo.

Gohan permaneceu com raiva o bastante para manter a sua aura por três longos minutos. Vegetto sabia que seu filho não iria deixar isso o dominar, que ele resistiria ao impulso de matar Bojack novamente. No entanto, ele mantera supervisão de perto, apenas como garantia.

A medida em que a tensão gradualmente se desvanecia, na ala do Universo 18 uma garotinha estava assustada. Ela, também, havia visto a expressão na face de seu pai no Universo 16...e ela ficou com medo. Ela nunca faria algo que faria seu pai, o real do Universo 18, ficar com uma cara igual aquela...

Além disso, o espírito de luta dela havia desaparecido. Sua alegria em participar nesse torneio? Acabada... Será que ela acreditava que era...imortal? Talvez... Será que era a presença do pai dela e de seu avô, Vegeta e Uub, Trunks e Goten (Que poderiam se fundir em Gotenks e ficarem ainda mais fortes) que haviam a confortado durante tanto tempo? Havia ela se permitido a acreditar que nada poderia acontecer à ela? Que se alguma coisa acontecesse com ela, eles iriam salvá-la, da forma como Kat fora salva por Vegeta do Universo 13 que parou Kakarotto?

Poderia ela morrer, também?

"Pai, eu acho que vou parar por aqui," ela chorou suavemente, "Eu não quero morrer também!"

A garota renunciou ao abraço de sua mãe e olhou fixamente para seu pai. Videl se levantou, uma mão sobre sua boca, ainda bastante chocada com a morte de Pan. A sua filha verdadeira continuou a falar com seu marido.

"Sem falar que ela perdeu e...ela era muito mais forte do que eu...eu estou muito longe desse nível de luta."

Son Gohan observou com atenção sua filha. Ela não estava errada. E lá no fundo, parte dele queria que ela desistisse, para ficar em segurança. Mas na verdade... Ao invés disso, eles deveriam estar encorajando-a, tranqüilizando-a.

"Pan, você poderia ser tão forte quanto ela se você assim quisesse... Vocês duas são identicas. Você irá se transformar muito em breve."

Bra aproveitou a vantagem desse comentário para falar um pouco. Ela pensou que isso seria bom para se desviar do tópico, para não ficarem focados sobre a morte de Pan. Isso não era uma má idéia.

"A outra Bra, por outro lado, não é idêntica a mim. Nós não temos o mesmo pai... e eu nunca poderia me transformar em uma Super Saiyajin..."

"Você provavelmente poderia se você treinasse mais!" Vegeta disse de forma bem séria, tentando pela enésima vez convencer Bra a treinar.

"Não estou interessada. Você viu aquele estilo de cabelo? E eu não quero ficar toda musculosa e sem cérebro como você e Goku."

"O quê acabou de dizer?" gritou o Príncipe dos Saiyajins, irritado com esse comentário. Será que sua filha seriamente o via como um idiota desprovido de um cérebro por tanto tempo?

Son Goku ficou de certa forma divertido. Na verdade, ele não iria tentar provar o contrário. Ele havia aprendido há muito tempo atrás a ignorar esse tipo de coisa...

Son Gohan continuou a falar com sua filha.

"Você pode desistir a qualquer momento, e não vou deixar que nenhum inimigo a machuque se a luta acabar. Você sabe, eu estou certo de que eu sou muito mais rápido do que Vegeta, se chegar a esse ponto. E além do mais, eu sei que isso não é algo para se levar de forma leve, mas aqui em especial, uma morte não irá durar tanto assim. É estranho, eu sei, mas pense nisso dessa forma," ele continuou a dizer para a garota.

No Universo 11, Babidi estava ficando impaciente. Após a derrota de seu Daburá, ele apenas contava com Buu para conseguir o seu desejo. Esperar pela segunda rodada seria demorado. E os organizadores pareciam estar usando todo o tempo necessário para consertarem esse ringue...e esses imbecis estavam chorando por uma morte...

"Mas que bando de bananas!" ele disse como se isso fosse o ajudar a esperar. "Meu DAburá está morto também e eu não estou reclamando sobre isso!"

Aos seus pés, o demônio lentamente abriu seus olhos e conseguiu respirar, "Eu...Eu não estou morto, ainda!"

Buu, atrás de Babidi, ficou em transe pelas palavras de seu mestre. Aproximando-se, ele perguntou com um enorme sorriso, "Se ele morrer, eu posso comer ele?"

Exausto e com raiva de ser ignorado, Daburá continuou a se defender, "Eu não estou morto, maldição! Arg! Keuff..."

Quando o Rei Demônio perdeu sua consciência, o ringue finalmente se recompôs em uma enorme esfera. O anunciador tomou a oportunidade para anunciar a próxima luta: Tapion contra Caracoru!

Comentários sobre esta página:

Carregando os comentários...
[pt_BR]
EnglishFrançais日本語中文EspañolItalianoPortuguêsDeutschPolskiNederlandsTurcPortuguês Brasileiro
MagyarGalegoCatalàNorskРусскийRomâniaCroatianEuskeraLietuviškaiKoreanБългарскиעִבְרִית
SvenskaΕλληνικάSuomeksiEspañol Latinoاللغة العربيةFilipinoLatineDanskCorsu